Adolescente emociona comunidade onde mora no Recife com canto lírico

Nicoly tem 16 anos e, há quatro, estuda esse tipo de canto em um projeto social. A professora lembra que a aluna nunca faltou as aulas de música. Mas, por causa da pandemia, as aulas agora são pelo celular. Adolescente emociona comunidade onde mora no Recife com canto lírico
O isolamento social imposto pela pandemia acabou proporcionando pelo menos um motivo de alegria para os moradores de uma área do Recife, e revelando um talento artístico.
No beco onde Nicoly mora, até um tempo desses, canto lírico, ópera era assunto desconhecido. Ela mesma não sabia o que era. Foi aí que o inesperado aconteceu.
Nicoly tem 16 anos e, há quatro, estuda esse tipo de canto em um projeto social. A mãe diz que ela sempre teve jeito para arte.
“Cantar, dançar, interpretar aqui, ela pequenininha junto com a irmã”, conta Vilene Nascimento, mãe de Nicoly.
“O pessoal também comentava que ela tinha a voz muito bonita”, diz Maysa Nascimento, irmã de Nicoly.
No projeto social, primeiro Nicoly aprendeu violino, flauta, canto popular. Até que…
“A minha professora disse que eu tinha a respiração para fazer canto lírico e disse que isso ia me ajudar e ia me dar muitas oportunidades”, explica a estudante Nicoly Nascimento.
A professora lembra que Nicoly nunca faltou as aulas de música. Mas que, por causa da pandemia, as aulas agora são pelo celular.
“Não deixa essa voz retornar, deixa a voz ir para frente”, destaca Giovânia Lopes, professora de canto.
No canto lírico, existe uma carga forte de emoção. E Nicoly leva isso muito a sério.
“Não é só sobre cantar, é sobre mostrar a arte, sabe, mostrar o que vem de mais profundo na gente, encantar as outras pessoas com os nossos sentimentos”, avalia Nicoly.
“Deixa a gente tranquila, na paz”, afirma uma moradora.
Todo mundo sabia que Nicoly cantava, mas ninguém estava muito acostumado a ouvir porque os ensaios eram sempre na escola de música. Agora, com a pandemia, está tudo acontecendo dentro de casa. Então ela começa a cantar, as pessoas vão saindo, param, ficam bobas escutando. Nicoly já está conhecida como a “voz do beco”.
“É um orgulho imenso que eu tenho dela. No local onde a gente mora, comunidade, com coisas ruins que tem, que podiam levar ela a coisas erradas. Incentivei muito na música, dança”, explica Vilene Nascimento.
“Meu sonho é fazer faculdade de canto lírico e seguir com ele” diz Nicoly.
“Dei banho, está tu hoje com uma voz tão linda dessa. Quero muito viver o resto da minha vida para ver tu cantando, para ver tu brilhando”, incentiva a vizinha Maria Cesarina.

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line