Adolescente é apreendido com arma de fabricação caseira em Ariquemes, RO


Arma estava dentro de um guarda-roupas e foi achada pela polícia após uma denúncia informar sobre disparos feitos no imóvel, contra um homem de 29 anos. Arma foi achada no guarda-roupas do adolescente em Ariquemes
WhatsApp/Reprodução
Um adolescente de 17 anos foi apreendido por porte de arma e levado à delegacia de Ariquemes (RO), Vale do Jamari. Isso porque dentro da casa dele foi achada uma arma de fabricação caseira, na terça-feira (7). O simulacro estava escondido no guarda-roupas.
De acordo com o boletim da delegacia, inicialmente a guarnição da Força Tática recebeu uma determinação da Central de Operação para comparecer na Avenida Brasil em Ariquemes, pois um denunciante relatava disparos de arma na região.
Ao chegar no local, um homem de 29 anos contou à polícia que estava na casa dele, reunido com outros homens na Zona Sul, quando em determinado momento um dos convidados tomou o celular da vítima e viu algumas conversas em um rede social.
Depois disso, os suspeitos que estavam na casa começaram a agredir o homem de 29 anos e, por medo de morrer, ele saiu correndo. Enquanto fugia, o morador alega ter ouvido barulho de disparos de arma de fogo, provavelmente efetuados na direção da vítima.
O boletim de ocorrência destaca que a vítima aparentava sinais de embriaguez. Depois de ouvir o homem, os policiais, juntamente com o morador, se deslocaram até a casa onde teria ocorrido a confusão.
Ao chegar no endereço da vítima, um adolescente de 17 anos disse aos policiais que morava na casa junto com a companheira, uma jovem de 21 anos. No imóvel havia outras pessoas.
Os policiais então questionaram o adolescente sobre as informações repassadas pelo homem de 29 anos e o menor disse não saber sobre o assunto.
A PM solicitou a entrada no interior da casa e o menor e a jovem concordaram. Dentro do guarda-roupas foi encontrado um simulacro de fabricação artesanal. Em uma gaveta havia três cartuchos de espingarda calibre 20, intactos. Ao ser questionado, o menor assumiu ser dono do simulacro e das munições.
Em contato com alguns moradores da região, estes alegaram não terem ouvido disparos de arma de fogo.
Diante dos fatos, o homem de 29 anos e o menor foram apresentados na Unisp juntamente com o simulacro e os três cartuchos de espingarda calibre 20. A jovem de 21 anos também foi conduzida até a Unisp como a responsável legal do adolescente de 17 anos.

COM AGÊNCIAS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.