Equipe de corrida vai utilizar NFTs para autenticar peças de carros

equipe de corrida vai utilizar NFTs

Ontem (dia 5), a Vincenzo Sospiri Racing (VSR) anunciou que a equipe de corrida vai utilizar NFTs para autenticar peças de carro. A equipe apoiada pelo departamento de automobilismo da Lamborghini irá lançar o programa de autenticação em parceria com a plataforma de tokens não fungíveis Go2NFT.

Confira o vídeo do anúncio:

O ex-campeão de corrida italiano, Vincenzo Sospiri, explicou que a Go2NFT e a plataforma de blockchain Skey Network vão criar as certificações em NFT dos carros de corrida da VSR. 

Em release de imprensa enviado para o Cointelegraph, o ex-corredor explicou que “isso também traz grande responsabilidade para garantir que possamos autenticar e auditar com segurança todas as partes de nossa frota de corrida para monitorar o desempenho e garantir a proveniência”.

Como funcionam as autenticações em NFT?

Segundo o vídeo de anúncio da equipe, as partes do carro serão criadas digitalmente e salvas em uma espécie de carteira virtual. Dessa forma, o time responsável poderá manter um registro da história de cada uma dessas partes. O anúncio destaca que ao armazenar a certificação em uma blockchain, se torna impossível forjá-la ou perdê-la. Os NFTs também contém informações essenciais sobre o produto, como cor, modelo e número de série. 

Futuramente, produtos e mercadorias oficiais da VSR também devem ganhar suas certificações em NFT. O objetivo é garantir que os fãs se sintam seguros para comprar produtos da marca. 

Proteger a propriedade intelectual das marcas é um desafio antigo. Mas para o executivo da Go2NFT, Boris Ejsymont, a tecnologia de tokens não fungíveis pode ser de grande ajuda, já que, de acordo com ele, “a utilidade dos NFTs pode ajudar a criar mais confiança e transparência para as marcas e seus fãs”.

Ejsymont também ressaltou que o projeto com a equipe italiana “é apenas o começo de muitas dessas cooperações para marcas amadas em todo o mundo.”

O mundo das corridas e dos NFTs

A equipe Vincenzo Sospiri não é a primeira no mundo das corridas a empreender na Web3. A equipe de Fórmula 1 Red Bull Racing anunciou em fevereiro uma parceria de três anos com a Bybit, uma plataforma de criptomoedas. A Bybit ficou responsável por distribuir futuras coleções de NFTs da equipe do Reino Unido. Ao fazer o anúncio, a equipe destacou a intenção de aumentar o engajamento dos fãs de corrida com os tokens. 

Outra equipe da F1 a empreender no setor foi a da Aston Martin. A equipe fechou uma parceria com a plataforma Crypto.com, em que os automóveis da marca foram estampados com anúncios da Crypto. 

Em junho, o torneio automobilístico Porsche Cup lançou um projeto NFT. Os porsches usados por um dos corredores da competição, Rodrigo Mello, viraram tema de 200 tokens na plataforma Mine. Os donos dos tokens ganham uma série de benefícios exclusivos, como ingressos para eventos vip, acesso a lives 360º dentro dos carros de corrida e aulas de kart com campeões mundiais. 

Os usos mais conhecidos dos NFTs são em artes digitais ou cards colecionáveis, no entanto o projeto da VSR demonstra um uso diferente dessa tecnologia. Os tokens não fungíveis já foram usados como chaves para acessar um produto real, ingressos para eventos e até garantias de empréstimos.