Jogo brasileiro de futebol com NFTs sai ainda este ano

Jogo brasileiro de futebol com NFTs

Futster, jogo brasileiro de futebol com NFTs, deve sair no segundo semestre deste ano, conforme publicado pelo Money Times. O jogo conta com cards NFTs colecionáveis e os primeiros mil jogadores ganham benefícios exclusivos com o Genesis Pass.

Os ganhadores do passe não ganham apenas acesso a itens no jogo, mas também se tornam parte de uma comunidade, tendo voz em decisões do Futster, um canal exclusivo no Discord, além de concorrer a sorteios, encontros e campeonatos.   

O jogo ficará disponível para o público geral nos próximos meses. 

Como o jogo vai funcionar?

Em um jogo no estilo football manager, os usuários montam equipes virtuais com jogadores que podem ser reais para participarem de competições online. 

O Futster funciona desta forma, adicionando a camada de blockchain e dos tokens não fungíveis. Os ativos digitais são criados na Polygon (MATIC), segunda camada da rede Ethereum (ETH). Os jogadores adquirem cards NFTs de jogadores para formarem seus times. Os desenvolvedores do jogo estão negociando parcerias com clubes e jogadores do país para o projeto. 

O jogador pode ganhar outros tokens e acessórios no jogo, entre outras recompensas. E ele ainda pode negociar estes itens com outros usuários em um marketplace. O produtor executivo do Futster, Ivan Duffles, explica como os jogadores podem ganhar itens no jogo: “Os jogadores podem ganhar tokens ao vencer partidas de futebol, obter boas posições em competições, finalizar missões e conquistas, atingir posições elevadas no quadro de líderes e completar as diversas coleções disponíveis”.

Como são os cards em NFT?

Os cards serão de atletas e times brasileiros ou fictícios, contando com traços únicos de personalidade e de estatísticas. Cabe ao jogador montar uma boa equipe de forma estratégica, combinando seus atletas. As habilidades e características de cada card determinam os lances que serão feitos durante a partida. 

Mas o produtor do jogo, Duffles, destaca que existem várias possibilidades no Futster. Afinal, as cartas, mesmo as do mesmo atleta, são diferentes entre si e podem aumentar de nível com as conquistas do jogador. 

A lógica do jogo é semelhante a das figurinhas da Copa do Mundo. Aliás, a paixão brasileira não só pelo esporte, mas também por colecionar essas figurinhas, foi grande parte da inspiração do Futster.

Bruno Natal, diretor criativo do jogo, fala sobre sua importância no mercado brasileiro: “Estamos, finalmente, colocando o Futster em campo para revolucionar os games no estilo football manager. Nós conseguimos desenhar um game que apela tanto para o aspecto colecionável, de cada um querer ter cards legais e raros do universo Futster, quanto para a estratégia e a integração que movem as competições nos games.”

Quem está por trás do jogo?

Há uma grande equipe por trás do Futster, incluindo nomes importantes do mercado cripto. Entre eles, estão Fernando Carvalho, CEO da QR Capital; Ivan Duffles, CEO da Campus Studio; e Leo Kaplan, CTO do Futster. O projeto também conta com empresas parceiras, uma desenvolvedora brasileira de jogos, Gazeus Games; corretora de criptoativos, Foxbit; e o Blockchain Studio. 

Os jogos com NFTs

O mercado dos jogos com NFTs tem crescido muito nos últimos anos. Principalmente durante a pandemia, os chamados “Play to Earn” (jogue para ganhar), se tornaram até uma fonte de renda extra.