Friday, 07 August, 2020

JORNAL TIJUCAS

4 dicas para comprar ações que podem garantir a aposentadoria


Acostumados por décadas a ver o dinheiro render no banco sem muito esforço, por causa dos juros estratosféricos pagos na renda fixa, os brasileiros estão começando a entender que, daqui para a frente, vão precisar pensar melhor em como multiplicar suas economias para conquistar um futuro tranquilo.

À medida que a taxa básica Selic foi caindo nos últimos meses, reduzida pelo Banco Central, a bolsa de valores foi ganhando novos participantes. De 2017 a 2019, o número de investidores no mercado de ações passou de 500.000 para 1,3 milhão. Somente em 2020, outros 500.000 entraram no mercado, mostrando que a cultura de investimentos no país está se aproximando da reinante nas nações desenvolvidas, cujos trabalhadores sabem que precisam investir em renda variável para construir no longo prazo um patrimônio para se aposentar com qualidade de vida.

“A dica fundamental para quem está começando agora é buscar ações boas pagadoras de dividendos e reinvestir sempre os dividendos”

afirma Airton Lozano, sócio do escritório de agentes autônomos A3S Invest, ligado ao banco BTG Pactual (dos mesmos controladores da EXAME).

O caminho é simples mas demanda atenção, dedicação e disciplina. “Muitas pessoas chegaram à bolsa empurradas pela baixa da Selic e normalmente são atraídas por empresas da moda”, diz o investidor Felipe Ruiz. Junto com Louise Barsi, filha do lendário megainvestidor brasileiro Luiz Barsi, que saiu do zero para construir uma fortuna na bolsa, e Fabio Baroni, Ruiz ministra o curso Ações Garantem o Futuro para ensinar quem está dando os primeiros passos na bolsa a criar uma carteira de qualidade e evitar roubadas. Veja abaixo quatro orientações para escolher ações que podem garantir a aposentadoria: 

1. Olhe para os boletos

“Para boa parte dos iniciantes, que não conhecem o mundo de renda variável, a primeira recomendação é entrar em setores mais seguros”, diz Ruiz. Não sabe quais são? Dê uma olhada nos boletos que precisa pagar todo mês. As concessionárias de energia elétrica, água e gás, além das de telecomunicações, oferecem serviços essenciais, que o consumidor não pode ou reluta em cortar. Atuam em mercados com altas barreiras de entrada: licenças ambientais e um grande valor de investimentos. Assim, essas companhias continuam tendo bom desempenho mesmo em momentos de crise e acabam sendo boas pagadoras de dividendos.

2. Escolha setores que ganham com a transformação digital da economia

O setor bancário viveu mudanças profundas nos últimos anos. Fintechs e bancos digitais chegaram com força no mercado e, por um tempo, a dominância dos grandes bancos parecia ameaçada. A pandemia do novo coronavírus, no entanto, acelerou a transformação digital dos grandes bancos, que fecharam agências, apostaram em aplicativos e, em muitos casos, expandiram o home office para os funcionários e podem economizar com o pagamento de aluguel dos escritórios. Além disso, em momentos de incerteza e crise os consumidores buscam instituições maiores. “Os clientes tiraram seus recursos de instituições não tão sólidas e migraram para os bancos, que tiveram um aumento expressivo de captação de recursos”, diz Ruiz.

Outro exemplo é o setor de papel e celulose. O Brasil é um dos líderes globais no setor e tem custos de produção bastante baixos. Embora o setor não seja reconhecido como um grande pagador de dividendos, tem uma vantagem: o crescimento do comércio eletrônico. Afinal, qualquer coisa comprada pela internet vem em uma caixa de papelão. O mercado também pode ser impulsionado por uma preocupação maior com a sustentabilidade. Pratos, talheres, copos e canudos de papel podem substituir as versões de plástico, por serem biodegradáveis. 

3. Preste atenção nos novos marcos legais

Mesmo entre os setores mais sólidos e perenes da economia ocorrem grandes mudanças e que podem mudar o cenário. O mercado de saneamento irá passar por um novo marco legal. “Há um potencial de transformar o setor e o país”, diz Ruiz. O próximo a passar por um marco semelhante pode ser o segmento de gás. “Há um interesse muito grande de empresas internacionais e nacionais de investir nesse mercado no Brasil”, afirma. Engie e Brookfield, além da Cosan e Itaúsa, por exemplo, investiram recentemente no setor.

4. Ouse (um pouco), mas não se esqueça do porto seguro

Como a carteira de ações para a aposentadoria é de longo prazo, dá para correr mais risco com os papéis escolhidos. As ações de empresas de menor porte (chamadas de small caps) tendem a valorizar conforme seu negócio cresce. É claro que muitas param pelo caminho, mas outras viram fenômenos como a da varejista Magazine Luiza.

Obter novas postagens por e-mail:

Cadernos

Confira…



Fale conosco
redacao@jornaltijucas.com.br 
+554833330097

 

Leitores On Line

 

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE