Youtuber Júlio Cocielo é denunciado pelo crime de racismo devido a posts no Twitter

O youtuber Júlio Cocielo foi denunciado pelo Ministério Público de São Paulo pelo crime de racismo, segundo comunicado emitido nesta terça-feira, dia 15. O documento diz que o influenciador “praticou e incitou a discriminação e preconceito de cor” em postagens no Twitter no período de 2 de novembro de 2011 a 30 de junho de 2018.

De acordo com a denúncia, assinada pela promotora de Justiça Cristiana Steiner, um dos posts dizia que “o Brasil seria mais lindo se não houvesse frescura com piadas racistas”, e continua: “Mas já que é proibido, a única solução é exterminar os negros”.

Para a Promotoria, Cocielo “reforça os estereótipos contra os negros numa mídia de largo alcance sua atividade profissional e sua fonte de renda, contribuindo de modo eficaz para a incitação e proliferação do racismo e de todas as suas consequências psíquicas, sociais, culturais, econômicas e políticas”.

O crime de que o youtuber é acusado é imprescritível e prevê pena de reclusão de dois a cinco anos, mais multa.

O influenciador não se pronunciou sobre a denúncia até o momento.

Uma das mensagems de Cocielo que mais repercutiu foi sobre o jogador Kylian Mbappé durante a Copa do Mundo de 2018 na Rússia. Ele chegou a pedir desculpas pelo comentário num vídeo em seu canal, argumentando ter feito uma piada em referência à velocidade do atacante devido a um lance da partida. No entanto, a ação dele já lhe havia causado consequências, como a perda de muitos seguidores e de patrocinadores.

Cocielo gerou revolta ao postar no Twitter que “Mbappé conseguiria fazer uns arrastão top na praia”. Após a repercussão negativa, ele fez um pedido de desculpas e apagou mais de 50 mil tuítes, entre eles outros comentários considerados racistas publicados quando ele ainda era adolescente.

Entre outros posts racistas, havia um datado de 2013 que dizia: “gritei vai macaca pela janela e a vizinha negra bateu no portão de casa pra me dar bronca”.

Leitores On Line