Vitacon lança novo prédio pensado no mundo pós-pandemia

O prédio está na Vila Olímpia, um dos principais centros empresariais da cidade. A ideia é que os moradores não precisem pegar o transporte público para chegar ao trabalho, a supermercados ou farmácias e outros serviços.

Para quem trabalhará mais de casa, mesmo depois da retomada do trabalho presencial, o empreendimento tem soluções para o home office, como módulos de trabalho individuais. No térreo também há espaço para uma loja pequena e o prédio tem até uma lavanderia compartilhada operada pela Omo.

Com mil metros quadrados, há 78 unidades residenciais, de studios de 21 metros quadrados a apartamentos com um pequeno jardim, o modelo garden, de 54 metros quadrados.

A Vitacon prevê manter o guidance de investimentos que havia previsto para este ano, de 1,8 bilhão de reais. Até agora, já lançou 350 milhões de reais e em julho deve lançar outros 250 milhões de reais. Em julho, a construtora terá uma receita superior ao período pré-crise.

Durante o período de quarentena, em que as construtoras e imobiliárias não poderiam atuar de forma física, a construtora continuou vendendo. “Fizemos um lançamento no meio da pandemia e já temos 60% das unidades vendidas, mais de 400 unidades, em um processo totalmente digital”, diz Alexandre Frankel, fundador e presidente da Vitacon.

Mercado imobiliário forte

Com a pandemia do novo coronavírus e a crise econômica, a renda de muitas pessoas foi reduzida. Frankel acredita que os apartamentos da Vitacon, famosos por serem compactos, podem ser uma alternativa mais econômica, tanto para aluguel quanto para compra.

“Com certeza o home office vai mudar o comportamento da moradia. Mas há muitas profissões que não podem trabalhar à distância, como dentistas, garçons, médicos, funcionários de cartórios. Essas pessoas vão continuar querendo morar perto do trabalho”, afirma Frankel.

O presidente acredita que o mercado imobiliário deve continuar forte esse ano, também como fonte de investimentos. Com juros básicos em um mínimo histórico e investimentos mais conservadores rendendo menos que a inflação, o empresário aposta que muitos devem se voltar para o mercado imobiliário, seja ao comprar um imóvel para locação, seja ao entrar em um fundo imobiliário.

“Faz parte da cultura do brasileiro investir em imóveis”, diz Frankel. A Housi busca intermediar esse processo de alugar imóveis para renda, para torná-lo mais prático para o investidor e mais eficiente com sua escala e tecnologia.

Para gerenciar esses investimentos, a Vitacon conta com a Housi, um spinn off hoje independente. A Housi também controla os aluguéis dos imóveis da própria Vitacon, assim como de outros empreendimentos. A ideia é oferecer o imóvel não como um bem ou propriedade, mas como um serviço – o mesmo princípio de outras empresas da economia compartilhada.

Uma característica da Housi era alugar os imóveis por poucos dias, uma semana ou um mês, para clientes corporativos que precisavam vir para São Paulo a trabalho. Durante a pandemia, essa demanda caiu muito, diz o presidente, mas foi em parte recuperada pela demanda por aluguéis de longa duração, acima dos 90 dias.

Novo prédio da Vitacon na VIla Olímpia Novo prédio da Vitacon na VIla Olímpia

Novo prédio da Vitacon na VIla Olímpia (Vit

Com Agências

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line