#Verificamos: É de 2018 e não tem relação com fechamento do comércio vídeo que mostra prefeito de BH sendo criticado em restaurante

Circula nas redes sociais um vídeo que mostra o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), almoçando em um restaurante enquanto é criticado por um cidadão. Segundo a legenda, o caso ocorreu recentemente na cidade de Nova Lima (MG). O homem que aborda o prefeito estaria criticando o bares e restaurantes em Belo Horizonte, medidas preventivas contra a pandemia da Covid-19. Por meio do ​projeto de verificação de notícias​, usuários do Facebook solicitaram que esse material fosse analisado. Confira a seguir o trabalho de verificação da Lupa:

“O PREFEITO de BH, Alexandre Kalil, fechou os bares e restaurantes de BH e foi almoçar na cidade vizinha de NOVA LIMA. E um cidadão de BH o tratou como devemos tratar todos estes políticos sem moral!”
Legenda de vídeo publicado no Facebook que, até as 13h do dia 07 de agosto de 2020, tinha sido compartilhado por mais de 3,5 mil pessoas

FALSO

A informação analisada pela Lupa é falsa. O vídeo que circula nas redes sociais é de julho de 2018, e foi publicado na conta oficial do Facebook do deputado estadual Bernardo Bartolomeu (Novo). Bartô, como é conhecido, é o homem que aparece criticando o prefeito Alexandre Kalil nas imagens.

Na publicação, o deputado afirma que abordou o prefeito em um restaurante de Belo Horizonte para questionar o gasto de R$ 63 mil no fretamento de uma aeronave para que o então procurador-geral do município, Tomáz de Aquino Resende, viajasse a Brasília, no dia 3 de maio de 2018. “Sou um cidadão comum e quero respeito pelas contas públicas. 63 mil reais, por apenas um dia de viagem, é inaceitável”, diz o parlamentar no post.

A prefeitura de Belo Horizonte, por meio de uma nota, confirma que o vídeo é de 2018. Sobre os gastos da viagem de Resende, a prefeitura informou que ela se deu por causa de uma agenda com ministros do Supremo Tribunal Federal (STF), concedida de última hora e, por isso, foi necessário fretar uma aeronave. “O procurador foi à capital federal tratar das verbas não repassadas pelo governo estadual para a Prefeitura de Belo Horizonte. Três dias após a viagem, o município recebeu R$ 180 milhões desses recursos que estavam atrasados.”

A reabertura das atividades econômicas contempladas na Fase 1 foi autorizada pela prefeitura de Belo Horizonte na quinta-feira (06). Podem retornar todo o comércio varejista não contemplado na fase de controle, além de cabeleireiros, manicures e pedicures, com horários reduzidos. As medidas preventivas de fechamento do comércio na cidade começaram em 20 de março.

Leitores On Line