VACINA é esperança para reverter tendência de declínio no turismo

O surgimento de uma vacina, ainda antes de dezembro, é a grande esperança dos empresários da capital para reverter a tendência de esvaziamento da próxima temporada no Sul da Ilha e capital catarinense. Notícias auspiciosas surgiram em meados de julho, com o início da fase de avaliação de uma vacina concebida por cientistas chineses, envolvendo inclusive testes em alguns voluntários brasileiros, mas que demandará no mínimo três meses para a apresentação dos primeiros resultados.
“Se surgir uma vacina, aí realmente tudo mudo de figura”, ressalva o hoteleiro Carlos Krebs, do Campeche. Para ele, existe uma ‘bolha de viagens’ represada, que tende a explodir aos primeiros sinais de controle da pandemia. “As pessoas estão ansiosas para viajar; se acharem uma vacina antes do final do ano, sem dúvida terá um efeito muito positivo e pode até reverter nossas expectativas”, corrobora o comerciante Arante Monteiro Filho, do Pântano do Sul.
Mesmo em meio ao ambiente de incertezas sobre os desdobramentos da pandemia, entidades empresariais têm invocado algumas pesquisas, que apontam Florianópolis como o destino preferido dos turistas nacionais no período pós-pandemia, para projetar uma temporada positiva. Embora o momento delicado, a cidade ainda goza de imagem de gestão eficaz da pandemia, ao contrário de São Paulo, por exemplo, que enfrenta números dramáticos e já cancelou os principais eventos. Até o Rio já cancelou o Reveillon de Copacabana, o mais badalado do mundo.
“Acho que a temporada vai surpreender; talvez não tenhamos os estrangeiros, mas se houver mobilidade do turista nacional, Florianópolis será certamente o destino preferido”, prognosticou o secretário municipal de Infraestrutura, Valter Galina. “Acho até que será melhor do que o ano passado”, arrisca. Não obstante o cenário atual, garante ele, o planejamento da temporada prossegue normalmente. “Estamos deixando a infraestrutura geral da cidade bem encaminhada e já iniciando a preparação dos balneários”, afirmou.

Leitores On Line