Unemat cria observatório de políticas públicas sobre Covid-19 direcionado aos povos tradicionais

Pesquisadores da Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat) criaram um observatório de políticas públicas sobre Covid-19 para povos e comunidades tradicionais no estado. Essas populações incluem indígenas, quilombolas, retireiros, extrativistas, pescadores artesanais, ciganos, entre outros.

O trabalho do grupo ainda está começando, e a intenção do observatório é avaliar de que forma estas populações mais vulneráveis estão sendo atendidas no combate à doença. Os integrantes também querem estudar a melhor maneira de aplicar medidas de proteção a esses povos, elaborar pareceres jurídicos, propor projetos de apoio e acompanhar atos administrativos e leis que garantam direitos.

O observatório conta com integrantes de diversas áreas como, história, antropologia e direito.

O professor de história da Unemat, Luciano Pereira da Silva, afirma que a demora do Poder Público para agir agravou a situação de muitos desses povos.

A expectativa dos pesquisadores é que, a partir dessas ações e da divulgação desses dados, a sociedade e o governo sejam sensibilizados para enfrentar a Covd-19 também em relação aos povos indígenas e comunidades tradicionais.

Sobre a situação dessas populações, principalmente em relação aos indígenas, o governo do estado afirmou, em nota, que instituiu o Grupo de Trabalho Central para desenvolver ações de monitoramento e estratégias para reduzir a propagação da Covid-19 nos territórios.

Também informou que atua na Alta Complexidade e vai auxiliar as demais instituições naquilo que for necessário, como distribuição de medicamentos, ampliação no número de leitos de Unidade de Terapia Intensiva, entre outras ações.

Com Agências

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line