Três meses após tornado: Empresários de Belmonte relatam reconstrução

O dia 10 de junho de 2020, será uma data lembrada pela população de Descanso e Belmonte. Por volta das 17h45, de uma

quarta-feira, véspera de feriado, a previsão era de chuva com possibilidades de
temporal isolado, nada muito diferente dos dias anteriores.

Momentos inesquecíveis ficaram marcados em muitas famílias. A
Defesa Civil estadual confirmou dias depois, que o fenômeno climático que
atingiu Descanso e Belmonte, foi um tornado. Na região, mais de 500 famílias
foram diretamente afetadas e 13 pessoas precisaram de atendimento hospitalar.

O proprietário e despachante, Elsio Stolarski, relatou que
foi um dia inesquecível, e que pegou todos os munícipes de surpresa. No dia em
questão, Elsio diz que logo após guardar o veículo na garagem, já pode
presenciar telhas sendo desprendidas com a força do fenômeno climático.

Elsio Stolarski – (Foto: Ricardo Orso | Rádio Progresso)

Segundo ele, poucos segundos foram necessários para derrubar
árvores de sua propriedade e também boa parte do telhado, quando a situação se
acalmou, veio a mobilização por parte de amigos, vizinhos e parentes, auxílio de terceiros, foram tomadas as medidas cabíveis no momento para
amenizar a situação. Elsio disse que o conformismo com a situação vem ao longo
do tempo, não deixando de seguir com a lida diária.

Stolarski disse que já presenciou ocorrências semelhantes,
como uma forte chuva de granizo no município de São Miguel do Oeste há
aproximadamente 30 anos, contudo, ambos os impactos só são realmente perceptíveis,
quando ocorre conosco.

Elsio ressalta que muitas vezes as pessoas reclamam do
estilo de vida próprio, caracterizado por uma supervalorização dos bens
materiais que não possuem ou que tentam mantê-los. Na visão dele, aproveitar os
simples momentos que a vida oferece, pode ser mais lucrativo.

O empresário e proprietário do Mercado Dalapicola, Etson
Dalapicola, disse que em uma fração muito curta de tempo, visualizou a infraestrutura
do mercado ser destruída quase que totalmente, estima que as perdas tenham sido
em torno de 30%, valor este que só não foi maior, pelo auxilio da população.
Segundo ele, a expectativa para que o mercado reconstruído fique pronto é de
aproximadamente 2 semanas, tendo atrasado por conta das condições climáticas
desfavoráveis.

A insônia acompanhou Etson na madrugada do dia 11, ao raiar
o dia, rapidamente as mercadorias foram transferidas do local, para um novo
depósito provisório. Etson salienta que o novo estabelecimento conta com 60 m²
a mais do que o antigo, apesar do crescimento, os planos eram muito maiores,
mas que foram interrompidos devido ao tornado.

O proprietário do mercado, reforça o espanto quando se é
atingido diretamente por um fenômeno como esse, é extremamente difícil possuir
um norte quando grande parte do seu capital é perdido, Etson não deseja a
ninguém o que passou.

 

Foto: Ricardo Orso | Rádio Progresso

Foto: Ricardo Orso | Rádio Progresso

Foto: Ricardo Orso | Rádio Progresso

Fotos:
Fonte: Rádio Progresso

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line