Tocantins já tem mais focos de incêndios do que Mato Grosso do Sul

As queimadas avançam por vários municípios do Tocantins, que também sofre com a falta de brigadistas no combate ao fogo. Das 139 cidades, quase metade não tem brigada de incêndio. Tocantins já tem mais focos de incêndios do que Mato Grosso do Sul
A região Norte do Brasil enfrenta o maior combate às queimadas dos últimos cinco anos. O Tocantins está em alerta máximo.
O gado não resistiu ao fogo. A queimada que atingiu a zona rural de Pequizeiro, no interior do Tocantins, se espalhou rapidamente por várias propriedades.
“Aí galera, o fogo chegando aqui já na casa do pai. Ninguém enxerga mais nada não”.
Durante quatro dias, os próprios produtores se juntaram para combater as chamas. “Trabalho aí tem muito, ó”.
Com a fumaça, a caminhonete perdeu controle. “Caminhonete do seu João aí pegando fogo”.
O fogo também significa prejuízo para o pequeno produtor, que precisa do pasto para alimentar os animais.
“A nossa produção aqui é a produção leiteira. Então estamos sem saber o quê que vamos fazer”, diz Elieide Santos da Cruz, produtora rural.
As queimadas avançam por vários municípios do Tocantins, que sofrem também com a falta de brigadistas no combate ao fogo. Das 139 cidades, quase metade não tem brigada de incêndio.
Segundo dados do Inpe, o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais, o Tocantins ultrapassou Mato Grosso do Sul e já é o quinto estado com maior número de queimadas. As áreas de preservação ambiental ainda estão ameaçadas pelos frequentes focos de incêndios.
No Parque Estadual do Cantão, a queimada já dura sete dias e na sexta-feira (18) chegaram as tropas do exército para reforçar o combate ao fogo.
O helicóptero do Centro Integrado de Operações Aéreas do Tocantins sobrevoa as áreas mais atingidas jogando bolsões carregados de água.
“O Ministério Público já instaurou vários procedimentos destinados a investigar a responsabilidade pelos crimes decorrentes dos incêndios e queimadas do Tocantins”, explica o procurador de justiça José Maria Teixeira.
O fogo destruiu o trabalho de meses de um produtor, que agora só quer recomeçar. “Arrumando a cerca né, para quando Deus abençoar, mandar chuva e brotar o capim, botar o gado de novo”, diz Domingos Oliveira.