Sydney, na Austrália, vira referência mundial em energia renovável

A maior, mais populosa e famosa cidade da Austrália, Sydney, é agora também a primeira a decidir ser completamente alimentada por energia 100% renovável, gerada por fazendas de energia eólica e solar na região de Nova Gales do Sul

Todas as operações da cidade, incluindo iluminação pública, piscinas, quadras esportivas, armazéns, edifícios e a histórica Prefeitura de Sydney, agora funcionam com energia renovável

Com essa mudança de energia, a cidade pode economizar até US$ 360 mil, cerca de R$ 1,9 milhão nos próximos 10 anos e reduzir as emissões de dióxido de carbono (C02) em cerca de 20 mil toneladas por ano, segundo dados de especialistas

“Estamos no meio de uma emergência climática. Se queremos reduzir as emissões e fazer crescer o setor da energia verde, temos que fazer uma transição urgente para a energia renovável”, disse a prefeita da cidade, Clover Moore

A prefeita disse ainda que o novo acordo de energia verde, avaliado em mais de US$ 43 milhões, cerca de R$ 227 milhões, criará empregos e apoiará as comunidades afetadas pela pandemia do novo coronavírus e criará novas oportunidades na região afetada pela seca em Nova Gales do Sul

A cidade pode ser considerada “livre de carbono”, já que emite para a atmosfera a mesma quantia de CO2 que retira de outros meios. Com essa mudança, Sydney vai conseguir reduzir em 70% as emissões de carbono até 2024, seis anos antes do planejado

“Este acordo de eletricidade renovável, envolvendo fazendas eólicas e solares em Glen Innes, Wagga Wagga e Shoalhaven, ajudará a acelerar a transição da Austrália para um futuro de carbono zero”, disse Matthew van der Linden, CEO da empresa de energia Flow Power, uma das responsáveis por abastecer a cidade

Agora, cerca de três quartos da energia elétrica que Sydney consome são geradas por energia eólica e um quarto é gerado por energia solar

Leitores On Line