O país também considerou “corajosa” a decisão dos Emirados Árabes Unidos, anunciada na semana passada, de estabelecer relações diplomáticas com o Estado judeu.

Israel e Sudão não mantêm relações. Historicamente, a Liga dos Estados Árabes fez da resolução do conflito israelense-palestino uma condição prévia para a normalização das relações com Israel.

Questionado em Cartum, capital do Sudão, pela AFP se atualmente existem contatos diretos entre o Sudão e Israel, o porta-voz do ministério das Relações Exteriores do país, Haider Badawi, respondeu: “Não posso negar”.

Badawi deu a mesma resposta à pergunta sobre o Sudão ter tomado medidas para assinar um acordo com os israelenses.

Diante das câmeras do canal de televisão Sky News Arabia, o porta-voz da pasta destacou nesta terça-feira que “não há razão para continuar a hostilidade entre o Sudão e Israel”.

Em fevereiro, ocorreu em Uganda um encontro considerado histórico entre o primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu, e o líder sudanês, Abdel Fatah al Burhan.

Posteriormente, Netanyahu disse que havia concordado com seu interlocutor “em começar a cooperação para normalizar as relações entre os dois países”.