Servidora do PJSC cria blog para expressar sentimentos e motivar bem estar cotidiano

Se a pandemia exige que as pessoas fiquem mais em casa, algumas aproveitam esta oportunidade para dar início  a atividades que muitas vezes planejavam ou desejavam realizar algum dia. Este é o caso da servidora Claudete Witkosky Shütze, do Cejusc de Jaraguá do Sul, que colocou em prática um projeto pessoal adaptado à realidade presente nestes tempos de trabalho em home office e isolamento social.

A servidora criou um blog, com endereço: https://brilhasolnascente.blogspot.com, onde compartilha seus pensamentos e experiências. Sua intenção é desenvolver ou aumentar a paz interior e a autoestima, criar novas percepções sobre a vida, e promover descobertas que se transmutarão em novas realizações. A iniciativa começou no mês de julho e, desde então, ganha cada vez mais adeptos.

Com 30 anos de atividades no Poder Judiciário de Santa Catarina, a servidora comenta que o trabalho no Cejusc contribuiu para iniciar este projeto pessoal. “Sem dúvida, o trabalho envolvendo mediação e conciliação veio para contribuir e expressar estes pensamentos. Trata-se de um ‘olhar do outro’, onde a pessoa fica estimulada a evitar a julgar o próximo e sim procurar  compreende-lo”, destaca a servidora. Ela acrescenta que os textos são fruto de reflexão sobre conduta, sentimento, saúde emocional e de como manter o bem estar no dia a dia.

A criação do blog foi idealizada após uma semana de pesquisas em sites de blog e leitura de e-books. “Foi uma experiência e uma descoberta única de poder expressar ideias e sentimentos através do meio digital. Observei que as pessoas estavam com muito medo e, por isso, a elaboração deste blog. Eu já me sinto uma vencedora!”, expõe Claudete.

A pandemia, segundo ela, despertou ainda mais o seu lado materno. Ela possui dois filhos, com idades de 15 e 17 anos. Além disso, Claudete participa do movimento Coletivo Feminino de Jaraguá do Sul, com a participação de mais de 170 mulheres que debatem sobre o empoderamento feminino. O grupo trabalha na adesão de mais farmácia para participar da campanha “Sinal Vermelho para a Violência”,  numa iniciativa idealizada pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB). A campanha consiste em  mulheres vítimas de violência ter a oportunidade de denunciar, nas farmácias e drogarias cadastradas, as agressões ao fazer um “X” com batom vermelho na palma da mão ou num pedaço de papel e mostrá-lo ao atendente, que acionará a Polícia Militar.

Imagens: Divulgação/Arquivo Pessoal
Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI
Responsável: Ângelo Medeiros – Reg. Prof.: SC00445(JP)

Com Agências

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.