Sem chuvas, Tambaú restringe o uso da água e proíbe lavagem de calçadas e carros


De março a setembro choveu só 74,1 mm. Represa está com metade da capacidade. Sem chuva considerável desde maio, Tambaú tem restrições para o uso de água
Com Tambaú (SP) passando por uma intensa seca, a prefeitura publicou um decreto restringindo o uso da água e proibindo a lavagem de calçadas e carros.
A lavagem de áreas residenciais internas está permitida apenas as terças e quintas e aos sábados.
Represa de Tambaú está com metade da sua capacidade
Éder Ribeiro/EPTV
De março a setembro deste ano, choveu apenas 74,1 milímetros em Tambaú. O volume é 25% menor do que o registrado em 2014, ano em que Tambaú sofreu a pior crise hídrica de sua história.
Com a falta de chuvas, o nível da represa municipal caiu pela metade, de 4 para 2 metros de profundidade.
Mas segundo o coordenador de Serviços Municipais de Tambaú, Jorge Augusto Arenas, as medidas são preventivas e não há previsão de racionamento, no momento, porque foi feita uma obra de transposição do rio Macuco que tem garantido o abastecimento da cidade.
A multa para quem lavar calçadas e carros é de R$ 700. Em caso de reincidência, o valor dobra.
Veja mais notícias da região no G1 São Carlos e Araraquara.
Leitores On Line