Saúde investiga morte suspeita por febre maculosa em Piracicaba


Vítima era um assistente social da cidade e apuração da causa deve levar até 60 dias; cidade soma quatro casos e um óbito pela doença confirmado em 2020, diz prefeitura. A Secretaria Municipal de Saúde de Piracicaba (SP) informou nesta quinta-feira (24) que junto ao governo estadual investiga uma morte suspeita por febre maculosa na cidade. A vítima é o assistente social Antônio Carlos Danelon, conhecido como Totó Danelon, que morreu na terça-feira (22).
A pasta informou que foi notificada da suspeita por um hospital particular da cidade e, assim, comunicou o governo estadual.
Comunicado de falecimento do assistente social Antônio Carlos Danelon, conhecido como Totó Danelon
Reprodução/ Facebook
Uma amostra de material biológico foi coletada pelo hospital e encaminhada ao Laboratório Municipal, que a encaminhou para análise no Instituto Adolfo Lutz, que faz o exame e conclui se a doença foi a causa da morte ou não. Segundo a prefeitura, o prazo para conclusão é de 60 dias.
Casos e mortes confirmadas por febre maculosa de janeiro a setembro em moradores de Piracicaba:
2019: 8 casos e 3 óbitos
2020: 4 casos e 1 óbito
Principais sintomas da febre maculosa:
Febre acima de 38,5ºC e calafrios, de início súbito;
Dor de cabeça intensa;
Náuseas e vômitos;
Diarreia e dor abdominal;
Dor muscular constante;
Pode ocorrer exantema (vermelhidão) nas palmas das mãos e sola dos pés;
Paralisia dos membros que inicia nas pernas e sobe até os pulmões, causando parada respiratória (casos mais graves);
Gangrena em dedos e orelhas.
Ciclo da febre maculosa envolve carrapatos e capivara
Amanda Paes/G1
Cuidados e prevenções em relação à febre maculosa:
Uso de roupas de cor clara, vestimentas longas, calçados fechados (preferencialmente com meias brancas e botas de cano longo) ao frequentar áreas favoráveis à presença de carrapatos (em especial beira de rios, ribeirões, córregos), o que facilitará a visualização dos mesmos;
No caso de trabalhadores o uso de equipamentos de proteção individual obrigatório nas atividades ocupacionais como capina e limpeza de pastos;
Não entrar em áreas onde há placa indicativa de risco para febre maculosa, pois nestes locais já ocorreu sabidamente a transmissão da doença e os carrapatos podem estar contaminados;
Examinar o corpo periodicamente ao frequentar áreas propícias à presença de carrapatos, tendo em vista que quanto mais rápido eles forem retirados do corpo, menor a chance de infecção;
Se verificados carrapatos no corpo, retirá-los com leves torções e com o auxílio de pinça, evitando o contato com unhas e o esmagamento do mesmo;
Utilização periódica de carrapaticidas em cães, cavalos e bois, conforme recomendações do profissional médico veterinário;
Limpeza e capina periódica de lotes não construídos e áreas públicas com cobertura vegetal;
Caso venha a apresentar febre até 14 dias da retirada do carrapato, ou de ter frequentado uma área de risco para febre maculosa, procurar o serviço médico e relatar que pegou carrapato, para que o médico então indique a antibioticoterapia adequada.
Veja mais notícias da região no G1 Piracicaba

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line