São Paulo pode ter atividades culturais com restrições a partir do fim de julho

A staff member of a cinema sprays disinfectant at the cinema hall to prepare for reopening on July 1 in Kuala Lumpur, Malaysia, Friday, June 26, 2020. Malaysia entered the Recovery Movement Control Order (RMCO) after three months of coronavirus restrictions. (AP Photo/Vincent Thian)O retorno das atividades, porém, deverá ser feita somente com 40% da capacidade máxima e funcionamento reduzido por, no máximo, até 6 horas por dia, além de uma série de protocolos de saúde. (Foto: AP Photo/Vincent Thian)

O governo de São Paulo anunciou nesta sexta-feira (3) a previsão de liberar eventos e atividades culturais somente na cidade de São Paulo partir do dia 27 de julho, data em que o município completará 4 semanas na fase 3 – Amarela do plano de flexibilização das medidas de isolamento por conta do novo coronavírus.

Entre as atividades que podem ser liberadas na capital estão a reabertura de museus, galerias, centros culturais, cinemas, teatros, salas de espetáculo e outros eventos que ocorram com público sentado e lugares demarcados. A previsão foi passada pela secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen.

O retorno das atividades, porém, deverá ser feita somente com 40% da capacidade máxima e funcionamento reduzido por, no máximo, até 6 horas por dia. O protocolos também preveem distanciamento mínimo de 1,5 metro entre os assentos, proibição de pessoas em pé, compra antecipada de ingressos, proibição do consumo de comidas e bebidas e uso obrigatório de máscaras.

“Lembrando que para essa fase, esse setor cultural, o funcionamento está previsto depois que a região tiver uma estabilidade de 4 semanas nessa fase amarela. Então não é funcionamento imediato a partir de segunda-feira, tem essa previsibilidade de 4 semanas”, disse Patrícia Ellen, durante a coletiva de imprensa.

EVENTOS EM PÉ SÓ EM OUTUBRO

A secretária adiantou que a retomada das atividades culturais com pessoas em pé só deverá ocorrer a partir de 12 de outubro, previsão para quando a capital completará 28 dias na fase 4 – Verde. A reabertura com pessoas em pé também com restrições e seguindo protocolos sanitários.

A ocupação máxima deverá ser de 60%, com um distanciamento mínimo de 1,5 metro entre cada pessoa – esteja ela em pé ou sentada. Os eventos também deverão vender os ingressos antecipadamente e será obrigatório o uso de máscaras.

ENTENDA O PLANO SÃO PAULO

O Plano São Paulo, apresentado dia 27 de maio, é dividido em cinco fases, ou etapas, e cada região do estado será classificada em uma delas. O estado será dividido de acordo com as 17 Diretorias Regionais de Saúde – DRS, além da cidade de São Paulo, que será analisada isoladamente:

  • FASE 1 (VERMELHA) – Alerta Máximo:

Funcionam somente os serviços essenciais, a indústria não essencial e construção civil

  • FASE 2 (LARANJA) – Controle:

Funcionam com restrições os setores de atividades imobiliárias; concessionárias; escritórios; comércios em geral; e shoppings centers

Funcionam sem restrições a indústria não essencial e construção civil

  • FASE 3 (AMARELA) – Flexibilização:

Funcionam com restrições os setores de bares, restaurantes e similares; comércios em geral; shoppings centers; salões de beleza

Funcionam sem restrições setores das atividades imobiliárias; concessionárias; e escritórios

  • FASE 4 (VERDE) – Abertura Parcial:

Funcionam com restrições os setores de bares, restaurantes e similares; comércios em geral; shoppings centers; salões de beleza; e academias

Funcionam sem restrições setores das atividades imobiliárias; concessionárias; e escritórios

  • FASE 5 (AZUL) – Normal Controlado:

Todos os setores funcionam, observando protocolos e determinações que serão especificadas pelo estado;

OS CRITÉRIOS DO PLANO SÃO PAULO

O cálculo das fases levará em consideração cinco critérios: dois de Saúde (taxa de ocupação de leitos de UTI por infectados pela Covid-19; e número de leitos de UTI para 100 mil habitantes), e outros três critérios de evolução da pandemia (número de casos, número de internações, e número de óbitos).

De acordo com a equipe de governo, cada região do estado será analisada de maneira isolada e, caso cumpram os critérios necessários, terá sua classificação alterada.

A atualização da situação das regiões será feita semanalmente. No entanto, uma região só poderá evoluir para a próxima fase se mantiver os indicadores estáveis por 14 dias. Casos de evolução excepcionais serão avaliadas a parte pelo governo.

Com Agências

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line