Salles propõe meta para proteger apenas 0,07% da Amazônia

O ministro Ricardo Salles propôs reduzir a meta de proteção ambiental no Brasil, em movimento rejeitado até mesmo pelo Ministério da Economia. A reportagem é do Estadão.

O Plano Plurianual (PPA) do governo prevê reduzir o desmatamento e os incêndios ilegais em 90% em todo o Brasil até 2023.

A equipe de Salles propôs desconsiderar essa meta, em troca da garantia de preservação de apenas uma área específica de 390 mil hectares de vegetação nativa na Amazônia. Essa preservação se daria pelo novo programa Floresta+, ainda em estágio embrionário.

A nota técnica do Ministério da Economia obtida pelo Estadão destaca: “tem-se que a meta proposta para o combate ao desmatamento e incêndio florestal no País objetiva proteger 0,07% da cobertura florestal amazônica com um projeto piloto de pagamento de serviços ambientais da floresta. Dessa maneira, acreditamos que o Programa Floresta+ é relevante, porém insuficiente”.

Em 3 de julho, O Antagonista perguntou ao Ministério do Meio Ambiente de onde viriam os recursos para o Floresta+. Até hoje não houve resposta.

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line