RS tem cinco regiões em bandeira vermelha; aulas da educação infantil devem ser suspensas


Demais 16 regiões estão em bandeira laranja, correspondente a risco médio para Covid-19. Com risco alto, regiões de Passo Fundo e Santa Maria terão de interromper atividades da educação Infantil retomadas na semana passada. Mapa do distanciamento controlado do RS na 19ª semana
Governo do RS/Divulgação
O mapa do distanciamento controlado divulgado nesta segunda-feira (14), pelo governo do Rio Grande do Sul, tem cinco regiões em bandeira vermelha: Erechim, Passo Fundo, Santa Maria, Porto Alegre e Palmeira das Missões. Destas, apenas Santa Maria, na Região Central do estado, ainda não encaminhou um plano regional próprio e adotou o sistema de cogestão (leia mais sobre abaixo).
As outras 16 regiões do estado estão em bandeira laranja, ou seja, com risco epidemiológico médio para o coronavírus. O gabinete de crise do governo analisou os oito recursos enviados por prefeituras e associações de municípios e acatou o pedido de duas delas: Guaíba e Caxias do Sul.
O mapa é válido entre esta terça (15) e a próxima segunda-feira (21).
Depois da análise de recursos, o estado ficou com 185 municípios sob bandeira vermelha, o que corresponde a 36,7% da população gaúcha (4,1 milhões de moradores). Desse total, 94 cidades não tiveram registro de hospitalização e óbito por coronavírus de morador nos 14 dias anteriores ao levantamento, o equivalente a 3,6% da população (405 mil habitantes), e podem adotar medidas mais brandas.
Volta às aulas
Conforme o cronograma apresentado pelo governo estadual, as aulas da educação infantil puderam ser retomadas no dia 8 de setembro. De acordo com o Decreto 55.465/2020, o governo levanta as restrições que vedam as atividades presenciais nas escolas e instituições de ensino em 11 regiões Covid nesta semana:
Bagé
Cachoeira do Sul
Caxias do Sul
Guaíba
Ijuí
Lajeado
Pelotas
Santa Cruz do Sul
Santa Rosa
Taquara
Uruguaiana
Nesta semana, as regiões de Passo Fundo e Santa Maria, que puderam abrir as escolas de Educação Infantil na semana passada, perdem essa possibilidade, já que foram classificadas como bandeira vermelha. Escolas que tenham retomado as atividades nessas duas regiões terão de interromper as atividades.
Prefeitos dos municípios que entenderem que não há condições para reabrir escolas podem mantê-las fechadas. Pais e instituições de ensino também têm autonomia para manter as crianças em casa ou para deixar as escolas fechadas.
Cogestão ainda não foi adotada por todas as regiões
Das 21 regiões do mapa do distanciamento controlado, 17 aplicam protocolos próprios por meio do sistema de cogestão: Capão da Canoa, Taquara, Novo Hamburgo, Canoas, Porto Alegre, Santo Ângelo, Cruz Alta, Ijuí, Santa Rosa, Palmeira das Missões, Passo Fundo, Pelotas, Caxias do Sul, Cachoeira do Sul, Santa Cruz do Sul, Lajeado e Erechim. Ou seja, podem adotar protocolos mais flexíveis, desde que não ultrapassem as medidas de segurança mínimas da bandeira anterior na classificação estadual.
As regiões que estão classificadas em bandeira laranja podem adotar protocolos flexíveis, desde que não menos restritivos do que os de bandeira amarela. Já as que estão em vermelho podem aplicar medidas equivalentes às de bandeira laranja.
Apenas Santa Maria, que está em vermelho, além de Guaíba, Uruguaiana e Bagé, não aderiu ao modelo. Neste caso, se não encaminhar um plano próprio com adesão de 2/3 dos municípios da região, deverá adotar medidas de bandeira vermelha conforme o decreto estadual.
Bandeira Vermelha
Porto Alegre
Erechim
Palmeira das Missões
Passo Fundo
Santa Maria
Bandeira Laranja
Bagé
Cachoeira do Sul
Ijuí
Uruguaiana
Santa Rosa
Canoas
Novo Hamburgo
Capão da Canoa
Pelotas
Santa Cruz do Sul
Lajeado
Cruz Alta
Taquara
Santo Ângelo
Caxias do Sul
Guaíba
Initial plugin text
Leitores On Line