Roy Kellermann é homenageado pela Cultura

Neste #TBT, a Secretaria Municipal de Cultura e Relações Institucionais e o Museu de Arte de Blumenau (MAB) prestam homenagem a Roy Kellermann, importante e atuante personagem da cultura blumenauense. Ele nasceu em 14 de outubro de 1943 em Blumenau. Graduado em Letras e pós-graduado em Língua Inglesa, foi artista plástico, poeta, contista, intérprete vocalista e antiquário. Casou com a professora de música Noemi Kellermann.

Roy descobriu dois ofícios (artista plástico e antiquário) praticamente ao mesmo tempo no fim da década de 1960. Em 1967, transferiu-se para Montevidéu e Punta del Este, Uruguai. Ali trabalhou no ramo de comércio e restauração de antiguidades. De volta a Blumenau em 1968, instalou a “Porto Bello Road”, de antiguidades, primeira loja do ramo na cidade. “A construção de minhas imagens, num movimento antagônico da geometria com perspectivas que se contradizem é um rever e pensar em diversas direções, variados caminhos, numa viagem, se possível de magia e beleza”, afirmava.

O artista encantava-se por relógios e espelhos em moldura. Na pintura, a vocação se manifestou quando ainda menino descobriu nos cadernos do colégio que os traços, nos ângulos certos, poderiam fazer surgir paisagens fantásticas. Por mais de 40 anos transformou cores e linhas em cenários mágicos. Era um matemático da poesia visual. O seu traço era característico e ao ordenar geometricamente cores e linhas, graças aos artifícios e técnicas que empregava, como falsas perspectivas, inversão das cores, transformava as paisagens e brincava com a ilusão de ótica. Como artista plástico deixou um legado de mais de 400 obras, sempre fiel ao Neo-Concretismo com elementos do Construtivismo.

Foram muitas as suas passagens e participações na Galeria e Museu de Arte, na antiga Fundação Cultural – atual Secretaria Municipal de Cultura -, entre elas a exposição individual de 2011, onde expressava sua alegria em poder participar das mediações e ações educativas com grupos de alunos de diferentes idades.

A magia da cor

Roy Kellermann nos deixou em 7 de fevereiro de 2014. Merecidamente recebeu homenagens da Secretaria Municipal de Cultura. Sua obra “antiga prefeitura” foi capa do volume 23 do Brasil em Números – IBGE, ano 2015, onde todos os capítulos iniciam com obras que fazem parte do acervo do MAB. Em 5 de março de 2015, a abertura da 1ª Temporada de Exposições do MAB do ano, foi palco de homenagem ao artista Roy Kellermann com a  mostra e lançamento do Livro  A Magia da Cor e da Forma, com promoção da Comendadora da Cultura  Noemi Kellermann.

Em 3 de novembro de 2016, durante a solenidade de abertura da 5ª Temporada de Exposições do MAB do ano, a Fundação Cultural de Blumenau prestou homenagem ao artista, passando a Sala Oficial do Museu de Arte de Blumenau a receber seu nome. Compareceram à solenidade a viúva Noemi Kellermann, irmãs e primo do artista.

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line