Qual a diferença entre cloroquina e hidroxicloroquina?

Diante de toda a politização sobre o uso da cloroquina e da hidroxicloroquina por pacientes com o novo coronavírus, surge uma dúvida: existe alguma diferença entre esses dois medicamentos? Pequena, mas existe. Apesar de ambos serem derivados sintéticos de uma mesma substância chamada quinina, são dois remédios de formulações diferentes. A cloroquina é prescrita há mais de 70 anos contra a malária, com eficácia comprovada. A hidroxicloroquina, por sua vez, é um derivado mais solúvel da cloroquina, e, por isso, acaba tendo um perfil de segurança mais favorável, com menos efeitos colaterais.

Por isso, a hidroxicloroquina costuma ser indicada para tratamentos mais longos, como no combate de doenças como artrite, lúpus, e doenças fotossensíveis – que são aquelas causadas pela extrema sensibilidade da pele quando exposta à luz. Mais recentemente, a cloroquina e a hidroxicloroquina também passaram a ser pesquisadas no tratamento de pacientes com o novo coronavírus. Mas, nesses casos, o infectologista Jean Gorinchteyn, atual Secretário de Saúde do Estado de São Paulo, explica que os medicamentos não têm eficácia comprovada.

Porém, por meio de uma portaria publicada pelo Ministério da Saúde em maio, os dois medicamentos, que já eram indicados para casos graves do novo coronavírus, em pacientes hospitalizados, passaram, também, a ter prescrição orientada para casos com sintomas leves para um tratamento medicamentoso precoce. Segundo a portaria, o acesso aos medicamentos exige receita médica, além da assinatura de um termo de consentimento pelos pacientes. Tá explicado?

Gostaria de sugerir algum tema para o programa? É simples. Encaminhe a sugestão para o e-mail online@jovempan.com.br e escreva Tá Explicado no assunto. Participe!

Leitores On Line