Lance

rodriguinho no cruzeiro

.cls-1{fill:none;}.cls-2{clip-path:url(#clip-path);}

Reprodução/ Instagram

Cruzeiro tem dívida com clube do Egito pela compra do Rodriguinho

O Cruzeiro recebeu mais uma notícia ruim vinda da FIFA. O Pyramids, do Egito, acionou a entidade máxima do futebol para cobrar R$ 16 milhões do clube mineiro pelo não pagamento de uma dívida referente a compra do meia Rodriguinho, em 2019. 

Leia também

  • Hackers anunciam a contratação de Lionel Messi pelo Cruzeiro
  • Ex-atacante do Cruzeiro desmente fake news que teria morrido
  • Cruzeiro recebe nova punição da FIFA por não quitar débito por Willian Bigode

O jogador, que foi adquirido pela gestão Wagner Pires de Sá, custou no total 7 milhões de dólares( R$ 40 milhões). Sendo que a Raposa pagou apenas 1 milhão de dólares aos egípcios. 

O valor devido chega a 3 milhões de dólares (R$ 16 milhões), sem contar uma parcela que ainda irá vencer, também de 3 milhões de dólares. A dívida ficou, mas Rodriguinho não, já que ele deixou a Toca da Raposa para acertar com o Bahia.

O superintendente jurídico do Cruzeiro, Flávio Boson, confirmou a existência do processo, mas ele disse que a pendência ainda em fase inicial, com o clube tendo outras preocupações para solucionar como a nova punição na entidade pelo não pagamento ao Zorya, da compra de Willian Bigode, que proíbe a Raposa de registrar novos jogadores. 

– Tem o Rodriguinho, do Pyramids, mas esse começou agora e é um processo que vai mais para frente. É um problema que eu espero resolver, se continuarmos aqui, quem sabe até o ano que vem ou algo assim. Tenho algumas questões imediatas e mais importantes para resolver-disse Boson.

Perigo de novas penas

O Cruzeiro corre risco de ser punido pela terceira vez pela FIFA. Além da pena de proibição de fazer novos registros de atletas, a Raposa já perdeu seis pontos na Série B por não quitar um débito com o Al Wahda, dos Emirados Árabes, pelo empréstimo do volante Denílson, em 2016, na gestão Gilvan de Pinho. 

O time celeste ganhou novo prazo para honrar o compromisso. Caso não o faça, a pena poderá ser rebaixamento imediato à Série C como explicou à reportagem Valinor Conteúdo/LANCE! o advogado Pedro Henrique Pontarolo Zaithammer., que atua na área do direito desportivo em ações no âmbito da FIFA, TAS/CAS e CNRD. Ele nos explicou com detalhes como o risco da Raposa de queda é grande.

– Tomara que eu esteja equivocado, e desde já peço desculpas a toda torcida do Cruzeiro, mas a chance de o clube ser rebaixado, diante de todo o cenário apresentado é enorme. Se a Fifa aceitar o pedido do Al Wahda e notificar o clube mineiro, o Cruzeiro terá de fazer o pagamento aos árabes em 30 dias. Caso contrário a queda para a terceira divisão é imediata, mesmo com a Série B em andamento-disse. 

O presidente Sérgio Santos Rodrigues garante que esse caso não chegará a esse patamar, evitando que haja qualquer risco de queda do Cruzeiro. 

– Não se preocupem, porque a gente está controlando muito bem isso. É claro que é um ponto de atenção, sem dúvida nenhuma, mas eu vi esse alarde que criou e eu falei já com a imprensa e explicamos bem. A gente perdeu os seis pontos e a decorrência natural disso é o rebaixamento à Série C, e o Al Wahda querendo receber, fez esse pedido na Fifa- disse Sérgio Rodrigues no dia 7 de agosto, em live realizada no canal oficial do clube no Youtube. 

    Leia tudo sobre:

    div#taboola-below-article-thumbnails{padding-top: 20px;}.ig-taboola{padding: 0 0px;}.ig-taboola .trc_rbox_border_elm{margin-top: 5px !important;}.ig-taboola .trc_rbox_border_elm .trc_rbox_header_span{border-bottom: 4px solid;}.ig-taboola .trc_rbox_border_elm .trc_rbox_header_span:after{content: “”;position: absolute;display: block;border-bottom: 1px solid;margin-top: 2px;width: 100%;}.iG_componente_taboola_containerTitulo{margin-bottom: 2.2rem;position: relative;}.iG_componente_taboola_containerTitulo .iG_componente_taboola_containerTitulo_title{font-size: 3.18rem;color: #000;text-transform: uppercase;font-weight: 300;border-top: 8px solid #000;padding-top: 8px;width: max-content;}.iG_componente_taboola_containerTitulo .iG_componente_taboola_containerTitulo_title::before{content: “”;display: block;border-top: 1px solid #d4d4d4;position: absolute;width: 100%;top: 0;}

    Veja Também

    window._taboola = window._taboola || [];_taboola.push({mode: ‘organic-thumbs-feed-02-mp’,container: ‘taboola-most-popular-thumbnails’,placement: ‘Most Popular Thumbnails’,target_type: ‘mix’});

    window._taboola = window._taboola || [];_taboola.push({mode: ‘thumbnails-b’,container: ‘taboola-below-article-thumbnails’,placement: ‘Below Article Thumbnails’,target_type: ‘mix’});

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      carregando

      Comentários

      if (/saudebucal/gi.test(window.igChannel) === false){if(document.querySelector(‘meta[name=”iG-noticia-comentarios”]’).content == ‘true’){document.write(‘loading‘);var dataHref = location.href.split(‘?’)[0];document.querySelector(‘#widget-comments’).innerHTML += ‘

      ‘;var checkFBCommentsLoaded = setInterval(function(){if(document.querySelector(‘.fb-comments’).getAttribute(‘fb-xfbml-state’) == ‘rendered’){document.querySelector(‘.fb-comments-loading’).remove();clearInterval(checkFBCommentsLoaded);}}, 100);}}