PSD oficializa candidatura de Artur Orsi à Prefeitura de Campinas, SP


Convenção ocorreu na sede da legenda, na Avenida Aquidabã; nome do vice ainda não foi definido. PSD oficializa candidatura de Artur Orsi à Prefeitura de Campinas
Daniel Mafra/EPTV
O Partido Social Democrático (PSD) oficializou, em convenção realizada na tarde desta terça-feira (15), a candidatura do servidor público Artur Orsi à Prefeitura de Campinas (SP). O evento ocorreu na sede do partido, na Avenida Aquidabã. A chapa ainda não tem candidato a vice definido.
É a segunda vez que Orsi se candidata ao cargo de chefe do Poder Executivo de Campinas. Na primeira, em 2016, foi derrotado pelo atual prefeito, Jonas Donizette (PSB). Antes, o servidor público foi vereador por três mandados.
Orsi afirmou, durante o evento, que a prioridade é desburocratizar a prefeitura e trazer investimentos para a retomada da economia.
“A política tem sido motivo de decepção por parte da sociedade, mas quem quer mudar o futuro tem que assumir responsabilidade. Esse nosso grupo já mostrou o comprometimento que tem com a cidade de Campinas. Nós vamos acabar com a corrupção nessa cidade, vamos reestruturar a prefeitura, desburocratizar, trazer investimentos, e nesse momento pós-pandemia retomar nossa economia”.
O partido também oficializou 34 candidatos a vereador, sendo 10 mulheres e 24 homens.
Perfil
Artur Casseb Orsi nasceu em Campinas e tem 50 anos. Formado em Direito pela PUC-Campinas, é servidor público da Câmara Municipal. O político concorreu à Prefeitura em 2016 e obteve 76.250 votos, ficando em segundo lugar.
Orsi foi vereador por três mandatos consecutivos na Câmara de Campinas. Foi autor do pedido de cassação do ex-prefeito Hélio de Oliveira Santos.
Orsi foi candidato a prefeito de Campinas em 2016
Reprodução / EPTV
Veja cenário das candidaturas em Campinas
Conheça perfil dos eleitores aptos a votar em 2020
Calendário
Confira abaixo as datas do calendário eleitoral deste ano:
a partir de 11 de agosto: emissoras ficam proibidas de transmitir programa apresentado ou comentado por pré-candidato, sob pena de cancelamento do registro do beneficiário;
31 de agosto a 16 de setembro: período destinado às convenções partidárias e à definição sobre coligações;
26 de setembro: prazo para registro das candidaturas;
a partir de 26 de setembro: prazo para que a Justiça Eleitoral convoque partidos e representação das emissoras de rádio e TV para elaborarem plano de mídia;
após 26 de setembro: início da propaganda eleitoral, também na internet;
27 de outubro: prazo para partidos políticos, coligações e candidatos divulgarem relatório discriminando as transferências do Fundo Partidário e do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (Fundo Eleitoral), os recursos em dinheiro e os estimáveis em dinheiro recebidos, bem como os gastos realizados;
15 de novembro: primeiro turno da eleição;
29 de novembro: segundo turno da eleição;
até 15 de dezembro: para o encaminhamento à Justiça Eleitoral do conjunto das prestações de contas de campanha dos candidatos e dos partidos políticos, relativamente ao primeiro turno e, onde houver, ao segundo turno das eleições;
até 18 de dezembro: será realizada a diplomação dos candidatos eleitos em todo país, salvo nos casos em que as eleições ainda não tiverem sido realizadas.
Funciona Assim: O que faz o prefeito?
Initial plugin text
Veja mais notícias da região no G1 Campinas
Leitores On Line