requestAnimationFrame(function ()
{
setTimeout(function ()
{
window._perfMarker && window._perfMarker(“TTVR.ArticleContent”, true, true);
define(“c.articleContent”, 1);
}, 0);
});




© Gabriel BOUYS
Professores enfrentam fila em Madri para fazerem testes de covid-19 em 2 de setembro de 2020

Milhares de professores madrilenos fizeram fila por horas nesta quarta-feira para se submeter a exames de coronavírus, poucos dias depois de um retorno às salas de aula que se preocupa com o aumento acentuado de casos. 

As autoridades regionais responsáveis pela educação pediram nesta terça-feira que todos os professores fizessem testes de anticorpos antes do início das aulas na próxima semana.Testes de PCR para a doença também estão previstos. 

Em frente à escola Virgen de la Paloma, em Madri, pelo menos 5.000 pessoas fizeram fila nesta quarta-feira à tarde, segundo a polícia. 

“Estão expondo todos os professores à contaminação” pela dificuldade de manter uma distância segura, “e aí vamos estar com as crianças e essas crianças poderão infectar suas famílias: isso é um massacre”, disse Eva Minerva, professora primária, depois de quatro horas esperando para ser testada.

“Tratam-nos pior do que gado, me dá vontade de chorar”, disse indignada Carmen, outra professora primária que preferiu não informar o sobrenome. 

A Espanha, e a região de Madri em particular, passa atualmente por uma segunda onda de coronavírus. 

As autoridades estabeleceram medidas rígidas para tentar prevenir infecções nos centros, e vão obrigar os alunos a usarem máscaras em todos os momentos a partir dos seis anos de idade.

tpe/avl/mg/mis/cc

Leia Mais