Procon monitora alta de preços dos alimentos em Viçosa


Segundo dados do relatório mensal do Índice de Preços ao Consumidor, a cesta básica teve aumento de 2,36% no mês de agosto no município. Saiba como fazer reclamações. O arroz é considerado um dos principais produtos da cesta básica
Reprodução/TV Integração
No mês de agosto, a cesta básica em Viçosa teve aumento de 2,36% , segundo dados do relatório mensal do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) da cidade. Por causa disso, a Agência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) do município informou na segunda-feira (14), que monitora a alta dos preços na cidade.
Em termos de valor, a cesta básica custou R$ 362,01 no mês passado no município. Já em julho, R$ 353,6. Uma diferença de R$ 8,33. Ainda conforme o levantamento, o tomate teve o maior aumento em Viçosa, com 52,31%. Depois aparece o limão (+45,72%), o mamão (+22,06) e a melancia (+19,98).
Medidas
De acordo com a Prefeitura, o órgão tem recebido ligações de consumidores questionando os recentes aumentos de preços. O coordenador do Procon de Viçosa, Celso Alves, disse que por ser um comportamento geral do mercado, o órgão local deve continuar atento aos preços praticados na cidade para checar se existem diferenças de valores nos estabelecimentos da cidade.
Como o aumento de preço é geral, fizemos um ofício para o Procon Estadual, que é responsável por atender demandas coletivas
Na última semana, o G1 mostrou que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) constatou que o preço dos alimentos teve uma alta de 0,24% na inflação oficial do país no mês passado. Já o Índice de Preços para o Consumidor Amplo (IPCA) subiu 2,44% em 12 meses, enquanto a inflação dos alimentos subiu 8,83% no período.
Prato feito mais caro: arroz lidera a alta dos alimentos no ano
Amanda Paes/G1
Entenda por que a inflação dos alimentos disparou no país
Por que tão caro?
De acordo com economistas ouvidos pelo G1, dois fatores explicam a alta dos alimentos:
Dólar alto: que incentiva os produtores a aumentarem as exportações, reduzindo, assim, a oferta de produtos no mercado interno;
Auxílio emergencial: benefício do governo federal estimulou o aumento do consumo. Foi direcionado, em grande parte, para a população mais pobre do país, que tem uma cesta de compras formada, na maioria, por produtos básicos, como alimentos.
Reclamações
O contato pode ser feito pelo e-mail procon@vicosa.mg.gov.br ou pelos telefones: 3891-6500, 3891-7345 ou 3892-5222.
Os atendimentos presenciais são feitos por agendamento, respeitando as normas de prevenção ao novo coronavírus.
O Procon de Viçosa fica na rua Gomes Barbosa, nº 942, Edifício Plaza Center, 7º andar, salas 706, 707 e 708, Centro.
Leitores On Line