Prefeitura define critérios para realização do teste de coronavírus

Confira a nota na íntegra:

Com o avanço no número de casos da Covid-19, também cresce o interesse da população pelos exames para diagnóstico da doença.

No entanto, a Prefeitura de Joinville, por meio da Secretaria de Saúde, reforça que as pessoas não devem se dirigir diretamente ao Centro de Triagem ou a uma Unidade Básica de Saúde (UBS), com o intuito de fazer o teste.

A orientação inicial para quem busca orientações sobre a Covid-19 ou informações sobre atendimento, é entrar em contato pelo Ligue-Saúde, serviço disponibilizado pela SES. O contato telefônico pode ser feito pelo número 3481-5165, de segunda a sexta-feira, das 7h às 22h.

De acordo com a gerente da Vigilância em Saúde, Chana Beninca, as ações prioritárias do município para conter a propagação do novo coronavírus, são a identificação e o isolamento domiciliar de pessoas que apresentem sintomas como tosse seca, coriza, dor de garganta ou dificuldade respiratória, acompanhada ou não de febre.

“Hoje, a premissa da Secretaria da Saúde é identificar as pessoas sintomáticas e isolar. O isolamento de pessoas contaminadas, desacelera a transmissão da doença. A realização do exame acontece em um segundo momento, após avaliação criteriosa do médico que vai definir se irá testar ou não”, explica Chana.

Com o objetivo de padronizar os critérios para definição de casos para notificação e realização de exames para diagnóstico da Covid-19, a Secretaria da Saúde de Joinville elaborou Nota Técnica com normativas que seguem diretrizes de órgãos federais e do Estado de Santa Catarina.

O documento é aplicado aos profissionais de saúde das redes pública e particular do município.

Critérios para o teste

De acordo com a Nota Técnica, o exame para diagnóstico da Covid-19 é indicado para indivíduos com quadro de síndrome gripal (sensação febril ou febre, acompanhada de tosse e/ou dificuldade para respirar e/ou dor de garganta e/ou coriza e/ou perda ou redução do olfato), pertencentes a grupos considerados de risco.

Esses grupos, são: profissionais de saúde envolvidos no atendimento direto aos pacientes; profissionais de força de segurança e salvamento; indivíduo com síndrome gripal que resida com profissional de saúde (profissional assintomático ou não testado para Covid-19); idoso residente em Instituições de Longa Permanência de Idosos (ILPIS); gestante de alto risco ou parturiente; indivíduo internado em unidade hospitalar que apresente síndrome gripal na admissão e /ou durante período de internação; indivíduo assintomático internado em unidade hospitalar que tenha sido transferido de outra instituição e que não tenha sido testado na unidade de origem; novos ingressos em unidades prisionais; potencial doador de órgão (morte encefálica); casos de síndrome gripal com classificação clínica moderada; e óbito por suspeita de Covid-19 ou causa desconhecida.

Além de indivíduos que fazem parte dos grupos de risco, pessoas que apresentarem sintomas de síndrome gripal moderada também serão avaliadas pelo médico e poderão ser encaminhadas para o exame de diagnóstico da Covid-19, caso preencham os critérios técnicos estabelecidos.

Já as pessoas sintomáticas que convivem com pacientes contaminados, receberão contato das Unidades Básicas de Saúde e também deverão ser avaliadas pela equipe médica.

Em relação ao tipo de teste aplicado, se o paciente estiver com os sintomas há até sete dias, poderá fazer um exame do tipo PCR (análise de material coletado da mucosa nasal). Se os sintomas já estiverem presentes há mais de sete dias, poderá ser agendado o teste sorológico (feito por amostra de sangue) em uma Unidade Básica de Saúde (UBS).

Isolamento domiciliar 

Como orientação principal, a Secretaria da Saúde de Joinville reforça que, mais do que buscar a realização de testes, a população deve estar consciente sobre a importância de seguir as medidas preventivas de contaminação pelo novo coronavírus, bem como respeitar o isolamento domiciliar em caso do surgimento dos sintomas.

“Precisamos frisar o isolamento. A cidade voltou a ter opções de serviços, mas para atenderem aos fluxos que fazem com que a economia do município gire, ou seja, transporte público de casa para o trabalho, mercados abertos para as compras diárias, bares e restaurantes abertos para as refeições de quem está em trânsito trabalhando”, reforça o diretor da Atenção Primária da Saúde da SES, Mário Brückeimer.  

Com Agências

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.