Prédio atingido por explosão em Fortaleza teve estrutura comprometida e vai ser demolido, diz laudo


A empresa de telefonia Oi, responsável pela edificação, realizou uma perícia e constatou a necessidade da demolição. O primeiro passo do processo de demolição foi o escoramento de uma torre de telefonia do local.
Camila Lima/SVM
O prédio atingido por uma explosão no Bairro Papicu, em Fortaleza, vai ser demolido nos próximos dias. A empresa de telefonia Oi — responsável pelo imóvel — informou, por meio de nota, que contratou um perito particular para elaborar um laudo sobre a situação do prédio após a explosão. O resultado da perícia indicou que a estrutura está comprometida e apresenta risco iminente de colapso, o que força a demolição do prédio.
Há ainda a possibilidade de uma vila de casas localizada ao lado do imóvel ser afetada em caso de desabamento. Com isto, a empresa enviou um ofício à Defesa Civil de Fortaleza detalhando o laudo e as recomendações sugeridas no documento. O órgão municipal foi ao local no último fim de semana e retirou, temporariamente, 43 moradores da vila, além de notificar as famílias sobre o risco de permanecer nas casas e interditar os acessos ao local.
De acordo com a nota, “a Oi se colocou à disposição do poder público e assumiu os custos da logística para a retirada temporária, disponibilizando transporte, alimentação e hospedagem em hotel aos moradores da vila”.
Processo de demolição
A primeira ação realizada para o início do processo de demolição da edificação foi o escoramento de uma torre de telefonia móvel localizada nos fundos do terreno da estação. A terra será desmontada futuramente, e a operadora garantiu que “todo o tráfego de telefonia móvel que utilizava esta estrutura já foi remanejado, de modo que não há nenhum impacto na cobertura aos clientes na região”.
“Em seguida começará a demolição propriamente do prédio danificado, num trabalho que será realizado por empresa especializada contratada pela Oi, sob supervisão e acompanhamento de profissionais da Oi em todas as suas etapas”, complementou a nota.
A explosão aconteceu no último dia 24, após o acúmulo de gás natural proveniente de uma tubulação no subsolo, informou o Corpo de Bombeiros. A Oi declarou que, antes do incidente, “colocou em prática seus protocolos de segurança e evacuou imediatamente o prédio da estação, além de isolar totalmente a área, adotando todas as medidas preventivas”.
Acidente atingiu parte da cobertura e do muro da edificação, em Fortaleza
Camila Lima
A Polícia Civil instaurou um inquérito para apurar a explosão que aconteceu em um prédio empresarial, na tarde desta quinta-feira (24), no Bairro Papicu, em Fortaleza. Na ocasião, parte da cobertura e do muro da edificação foram danificados. Não houve feridos.
De acordo com a Secretaria da Segurança Pública, a investigação vai esclarecer as causas e as circunstâncias determinantes que ocasionaram o acidente. Após a conclusão dos trabalhos periciais, será feito um laudo técnico-científico para auxiliar na investigação.
O Núcleo de Engenharia Legal e Meio Ambiente (Nupelm) da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) foi acionado para realizar os primeiros levantamentos no local. As investigações estão a cargo do 15º Distrito Policial.
Explosão
Segundo o Corpo de Bombeiros, o gás natural proveniente de uma tubulação se acumulou no subsolo, até o momento em que houve a explosão. O problema começou, quando um dos gasodutos foi perfurado durante uma obra realizada na Avenida Santos Dumont.
A Companhia de Gás do Ceará (Cegás) informou que, em razão do acidente causado por terceiros, teve que suspender, por medida de segurança, o fornecimento de gás para parte de seus clientes nos bairros do Papicu e Cocó até às 19h desta quinta-feira. A empresa afirmou ainda que está investigando a relação entre o referido acidente e os danos causados em um prédio da região.

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line