Polícia cumpre mandado de prisão contra homem que confessou assassinato de adolescente na PB


Thainá foi encontrada morta em 29 de abril; um outro suspeito do crime, que era namorado da vítima, foi preso no dia 14 de julho. Corpo de Thainá foi encontrado em praia de Cabedelo em 25 de abril

A Polícia Civil cumpriu mandato de prisão preventiva contra um suspeito de ter matado a adolescente Thainá, encontrada morta em 29 de abril em Cabedelo, nesta segunda-feira (20) na Paraíba. No último dia 13, o então namorado da vítima, também suspeito do crime, foi preso pela Polícia Civil.
De acordo com a Polícia Civil, o jovem preso nesta segunda-feira (20) tem 21 anos de idade, possui antecedentes criminais e já estava recolhido em uma unidade prisional do estado por outros delitos.
Ele foi preso em maio suspeito de ter assaltado uma farmácia. Após ser interrogado pela Polícia Civil, ele confessou ter participado da morte de Thainá e informou que a motivação do crime foi por disputa de facção.
O homem teve prisão preventiva decretada pela Vara Mista de Cabedelo. A Polícia Civil irá continuar com as investigações do crime.
Entenda o caso
Thainá Diniz Martins desapareceu por volta do dia 21 de abril, após sair de casa contra a vontade dos pais para se encontrar com o então namorado. No dia 23 do mesmo mês, a Polícia Civil encontrou peças de roupa da jovem em uma região de maré de Cabedelo.
No dia 25 de abril, o corpo de uma adolescente foi encontrado em uma praia de Cabedelo, sendo confirmada a identificação da vítima no dia 28.
Segundo o laudo pericial, Thainá sofreu tortura, sendo atingida por disparos de armas de fogo nos pés e nas mãos antes de ser executada e ter o corpo colocado em uma canoa lançada no Rio Paraíba.
Em 26 de maio, um homem foi preso por assalto a uma farmácia na Praia do Bessa e confessou à Polícia Civil ter matado Thainá. O homem também confessou que deu os primeiros tiros na mão da vítima, como punição e tortura.
De acordo com o delegado Diego Garcia, do Núcleo de Homicídios da Delegacia de Cabedelo, o suspeito disse que a motivação do crime foi disputa de facção, já que a jovem saiu de um bairro de João Pessoa para morar em um bairro de Cabedelo comandado por uma facção criminosa diferente.
No dia 13 de julho, o namorado da vítima foi preso suspeito de envolvimento no crime. Conforme as investigações da Polícia Civil, teria sido o então namorado da vítima que descobriu mensagens no celular dela com um membro de uma facção rival.
“Segundo apurado, foi ele que descobriu mensagens no celular da vítima, conversando com um integrante de uma facção rival e a levou para o local onde foi morta. Ele participou da execução juntamente com outros homens”, afirmou o delegado Diego Garcia.

Com Agências

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.