Polícia Civil de Goiás troca titular de delegacia e delegados da unidade pedem transferência


Corporação afirma que mudança é ‘ato corporativo corriqueiro’. Alteração foi ordenada no mesmo dia em que Combate à Corrupção fez operação contra suspeita de fraude em licitação. Após operação, delegado é destituído de cargo em delegacia; ele e outros cinco pedem transferência
O então titular da Delegacia de Combate à Corrupção (Deccor) de Goiás, Rômulo Figueiredo Queiroz, foi retirado da chefia da unidade na terça-feira (15), por determinação da direção da Polícia Civil. Na mesma data, ele próprio e os outros cinco delegados dessa equipe pediram para serem realocados para outras unidades.
Por meio de nota, a Polícia Civil informou que a troca nos titulares das delegacias é “ato corporativo corriqueiro” e que “as investigações serão preservadas”. “Não se tratou de remoção do Delegado de Polícia, tão somente de readequação administrativa, a fim de viabilizar que a Delegacia se torne ainda mais produtiva e intolerante com a corrupção” (leia a íntegra ao fim da reportagem).
A saída de Rômulo da titularidade e o pedido de realocação de todos os delegados da Deccor aconteceram na mesma data em que foi deflagrada a Operação Stop Spooler, que investiga suspeita de R$ 26 milhões de superfaturamento e fraude em licitação.
Procurado pela reportagem, o delegado Rômulo Queiroz disse que prefere não dar declarações sobre o caso. O G1 apurou que ele deve entrar de férias, que estão acumuladas, nos próximos dias.
Delegacia Estadual de Combate à Corrupção Goiás
Polícia Civil/Divulgação
Um documento obtido pela TV Anhanguera mostra a assinatura do próprio delegado e de todos os outros que compõe a delegacia pedindo realocação. A data dessa solicitação também é de terça-feira.
O G1 procurou os delegados para saber se gostariam de se posicionar sobre o caso. A reportagem contatou, por mensagem, Luiz Gonzaga, Magda D’Ávila e Maurício Passerini e aguarda retorno.
Por telefone, o delegado Davi Rezende disse que também não quer se pronunciar sobre o caso. A reportagem aguarda retorno, por telefone, do delegado Francisco Lipari.
Operação Stop Spooler da Polícia Civil
Reprodução/Polícia Civil
Posicionamento da Polícia Civil
A Polícia Civil do Estado de Goiás esclarece que a alteração de titularidade de quaisquer de suas Delegacias de Polícia constitui ato administrativo discricionário do titular da Instituição, realizado sempre visando ao incremento da gestão das diversas unidades policiais. A titularidade de Delegacia Especializada constitui inclusive função de confiança, especialmente remunerada por Função Comissionada.
Não há direito subjetivo à titularidade de nenhuma Delegacia de Polícia, cabendo ao titular da Polícia Civil a decisão das chefias de suas unidades, sempre em busca da maior efetividade do trabalho de polícia judiciária, observando, sempre que possível, as competências ostentadas pelos diferentes servidores.
A alteração da titularidade da DECCOR (Delegacia Estadual de Combate à Corrupção) constituiu ato administrativo corriqueiro. As investigações serão preservadas, tendo-se inclusive mantido na equipe daquela Especializada o Delegado de Polícia que exercia a titularidade, o qual permanecerá na presidência dos Inquéritos Policiais e das investigações que estavam sob sua responsabilidade. Não se tratou de remoção do Delegado de Polícia, tão somente de readequação administrativa, a fim de viabilizar que a Delegacia se torne ainda mais produtiva e intolerante com a corrupção.
O Delegado de Polícia Pedro Caires, que ora titulariza a DECCOR, detém larga experiência administrativa, tendo gerido com sucesso a Delegacia Regional de Anápolis, onde se notabilizou pela capacidade de gestão de pessoas, tem excelente currículo profissional e reputação ilibada, e certamente contribuirá muito para o pretendido fortalecimento da DECCOR.
Divisão de Comunicação e Cerimonial / PCGO
Veja outras notícias da região no G1 Goiás.
Leitores On Line