PF investiga postos e distribuidora de combustível em operação contra lavagem de dinheiro de facção criminosa


Grupo movimentou R$ 30 bilhões; Justiça determinou bloqueio de R$ 730 milhões e interdição de 70 empresas. A Polícia Federal em São Paulo realiza nesta quarta-feira (30) uma operação contra um esquema de lavagem de dinheiro do tráfico de drogas.
O objetivo da operação é desarticular um braço financeiro do PCC, facção que atua dentro e fora dos presídios do país, e movimentou ao menos R$ 30 bilhões, segundo as investigações.
Ao todo, são cumpridos 13 mandados de prisão preventiva e 43 mandados de busca e apreensão em São Paulo, Santa Catarina e no Paraná.
Entre os alvos estão empresários do setor de combustíveis e uma pessoa que foi condenada pelo envolvimento no furto ao Banco Central do Brasil, ocorrido em Fortaleza, em 2005.
Mais de 70 empresas são investigadas, dentre elas, uma distribuidora de combustível.
A Justiça determinou o sequestro de 32 automóveis, nove motocicletas, dois helicópteros, um iate, três motos aquáticas, 58 caminhões e 42 reboque e semirreboque, com valor aproximado de R$ 32 milhões em bens sequestrados da facção.
Bens e imóveis apreendidos em operação da PF contra o tráfico de drogas
Divulgação/PF
Bens apreendidos pela PF em operação contra o tráfico
Divulgação/PF
Ao todo, 20 pessoas foram indiciadas. Eles responderão pelos crimes de organização criminosa e lavagem de dinheiro.
A Polícia Federal pediu à Justiça que as 73 empresas usadas para lavagem sigam em funcionamento e passem a ser administradas pela Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas do Ministério da Justiça – medida que era inédita até aqui, de acordo com a corporação.
A investigação foi realizada pelo Grupo de Investigações Sensíveis, unidade de inteligência que compõe a Delegacia de Repressão a Entorpecentes.
Helicóptero apreendido em operação da PF contra o tráfico de drogas
Divulgação/PF