PF apura desvio de R$ 40,5 mi  em contratos no DNIT

.cls-1{fill:none;}.cls-2{clip-path:url(#clip-path);}

Agência Brasil

PF apura desvio de R$ 40,5 mi em contratos no DNIT

A Polícia Federal
cumpriu na manhã desta quinta-feira (3) nove mandados de prisão temporária e 44 mandados de busca e apreensão em endereços no Distrito Federal, São Paulo, Goiás e Paraná em operação apura o suposto desvio de R$ 40.566.248 do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit), por meio de “contratações fraudulentas” de uma empresa do ramo de tecnologia. A “Operação Circuito Fechado” investiga três contratos firmados entre 2012 e 2019.

Leia também

  • Vivendo com auxílio emergencial, pai pede emprego no Twitter e viraliza; veja
  • Reforma administrativa limita estabilidade de servidores a poucas carreiras
  • Bolsonaro quebra regra de Guedes sobre gastos e abre concursos públicos; entenda

A Justiça Federal
determinou ainda o bloqueio de cerca de R$ 40 milhões nas contas dos investigados e o sequestro de seis imóveis e 11 veículos. Buscas estão sendo feitas na sede do Dnit, no Setor de Autarquias Norte, em Brasília.

Os investigados podem responder pelos crimes de:

  • peculato,
  • organização criminosa,
  • lavagem de dinheiro,
  • fraude à licitação,
  • falsificação de documento particular,
  • corrupção ativa e passiva.

A Operação Circuito Fechado
é a segunda fase da “ Operação Gaveteiro
”, deflagrada em fevereiro, para apurar o desvio de R$ 50.473.262,80 do Ministério do Trabalho, que tinha como alvo irregularidades da mesma empresa no Ministério do Trabalho.

Segundo a PF, o esquema envolvia empregados e revendedores da empresa. A investigação apontou ainda que o grupo criminoso vendia ferramentas de tecnologia aos órgãos públicos, “sempre por meio de licitações fraudadas”.

Servidores públicos atuavam para impedir a habilitação de concorrentes para favorecer a mesma empresa de tecnologia.

“Além de direcionar a contratação, os agentes públicos maximizavam o seu objeto, forjando a necessidade de aquisição de valores milionários em licenças, suporte técnico, consultoria e treinamento”, diz a PF
.

    Leia tudo sobre:

    div#taboola-below-article-thumbnails{padding-top: 20px;}.ig-taboola{padding: 0 0px;}.ig-taboola .trc_rbox_border_elm{margin-top: 5px !important;}.ig-taboola .trc_rbox_border_elm .trc_rbox_header_span{border-bottom: 4px solid;}.ig-taboola .trc_rbox_border_elm .trc_rbox_header_span:after{content: “”;position: absolute;display: block;border-bottom: 1px solid;margin-top: 2px;width: 100%;}.iG_componente_taboola_containerTitulo{margin-bottom: 2.2rem;position: relative;}.iG_componente_taboola_containerTitulo .iG_componente_taboola_containerTitulo_title{font-size: 3.18rem;color: #000;text-transform: uppercase;font-weight: 300;border-top: 8px solid #000;padding-top: 8px;width: max-content;}.iG_componente_taboola_containerTitulo .iG_componente_taboola_containerTitulo_title::before{content: “”;display: block;border-top: 1px solid #d4d4d4;position: absolute;width: 100%;top: 0;}

    Veja Também

    window._taboola = window._taboola || [];_taboola.push({mode: ‘organic-thumbs-feed-02-mp’,container: ‘taboola-most-popular-thumbnails’,placement: ‘Most Popular Thumbnails’,target_type: ‘mix’});

    window._taboola = window._taboola || [];_taboola.push({mode: ‘thumbnails-b’,container: ‘taboola-below-article-thumbnails’,placement: ‘Below Article Thumbnails’,target_type: ‘mix’});

    Mais Recentes

      Mostrar mais

      carregando

      Comentários

      if (/saudebucal/gi.test(window.igChannel) === false){if(document.querySelector(‘meta[name=”iG-noticia-comentarios”]’).content == ‘true’){document.write(‘loading‘);var dataHref = location.href.split(‘?’)[0];document.querySelector(‘#widget-comments’).innerHTML += ‘

      ‘;var checkFBCommentsLoaded = setInterval(function(){if(document.querySelector(‘.fb-comments’).getAttribute(‘fb-xfbml-state’) == ‘rendered’){document.querySelector(‘.fb-comments-loading’).remove();clearInterval(checkFBCommentsLoaded);}}, 100);}}