Pesquisa inédita com uma amostra de 10% da população idosa de Jaraguá do Sul, aplicada a partir de agosto e com previsão de realização de 12 meses, visa conhecer a realidade e propor ações de atendimento às necessidades deste público.

A assinatura do Termo de Colaboração para a Realização do Diagnóstico da População Idosa do Município de Jaraguá do Sul – SC, na tarde desta quinta-feria (30), é o ponta-pé inicial para a realização de pesquisa técnico-científica.

O investimento é de R$ 219.461,83, com recursos do Fundo Municipal do Idoso (FMDI), por meio de edital de chamamento público que selecionou o Instituto Anima Sociesc de Inovação, Pesquisa e Cultura.

De acordo com o secretário de Assistência Social e Habitação, André de Carvalho Ferreira, trata-se de um momento bastante importante para a secretaria, uma vez que se trata de uma temática que ganhou força a partir de 2017.

A assinatura do termo era prevista para março, mas foi adiada em função da pandemia.

“O Termo de Colaboração que viabiliza o diagnóstico do idoso representará o futuro das políticas públicas governamentais e também para as Organizações Não-Governamentais que atuam em nosso município”, argumenta Ferreira.

Ainda segundo o secretário, este trabalho estava orçado em 2017 em cerca de R$ 500 mil. “Ao longo destes três anos, o trabalho foi amadurecendo e conseguiremos realizá-lo com economia”, explica.

O universo da pesquisa será de 10% das 17.325 pessoas com mais de 60 anos da cidade, segundo o cadastro das Unidades Básicas de Saúde (UBS), tendo como base o ano de 2018. Serão pesquisadas 958 mulheres (55,32%) e 774 homens (44,67%). A pesquisa seguirá o agrupamento por território das UBS.

Foto: Eduardo Montecino/PMJS

Para a assessora técnica de gestão administrativa, Caroline Bitencourt Goularte, a proposta inédita fornecerá subsídios para o enfrentamento das necessidades deste público.

“Vamos identificar como vivem os idosos da cidade para, a partir destes dados, propor políticas e ações que atendam estas necessidades e demandas”, explica.

Esta também é a fala da presidente do Conselho Municipal do Idoso (CMDI), Salete Bornhausen Junior, à frente do conselho pelo segundo ano. “Assim saberemos da real situação do idoso da cidade”, pondera.

Neste primeiro momento, será desenvolvido o planejamento da pesquisa e realizado o levantamento de dados relacionados aos idosos junto a órgãos governamentais como secretarias municipais de Saúde, Assistência Social e Habitação, Educação, Cultura Esporte e Lazer, Ministério Público, delegacias, entre outros.

O acompanhamento de todas as fases do diagnóstico será realizado pelo CMDI e pela Secretaria Municipal de Assistência Social e Habitação, da qual o conselho é ligado.

As visitas domiciliares para aplicação dos questionários da pesquisa têm previsão de início para o fim deste ano ou em 2021, dependendo da situação da pandemia de coronavírus.

O Fundo Municipal dos Direitos do Idoso (FMDI) tem como principal fonte de recurso as doações por meio do Imposto de Renda.

Objetivos específicos da pesquisa social

    • Construir o perfil socioeconômico e sociodemográfico da pessoa idosa do município;
    • Avaliar a autonomia e o protagonismo da população idosa;
    • Apontar as condições de saneamento;
    • Identificar como estão, onde estão, como vivem e como estão sendo atendidos em seus direitos;
    • Avaliar as percepções e os gastos em saúde da população idosa e a utilização dos serviços de saúde.
    • Avaliar a participação da população idosa em atividades educativas, esportivas, culturais e lazer;
    • Avaliar a inclusão do idoso na relação idoso-família e idoso-sociedade;
    • Avaliar as condições habitacionais e a mobilidade urbana.
    • Levantar a demanda de atendimentos de idosos nos serviços públicos governamentais e não-governamentais;
    • Identificar as demandas e necessidades da população idosa do município de Jaraguá do Sul;
    • Produzir análise conclusiva e propositiva com ações de enfrentamento a partir dos dados pesquisados;
    • Realizar impressão gráfica conclusiva sobre a pesquisa, em formato de caderno;
    • Apresentar as conclusões da pesquisa para a Rede de Serviço de Atendimento à Política do idoso e comunidade em geral