Paraná faz acordo para testes de vacina chinesa contra covid-19

O governo do Paraná anunciou que está finalizando 1 acordo com o laboratório Sinopharm para testagem e produção da vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pela estatal chinesa. Segundo o Estado, a expectativa é que o processo possa começar até o final de agosto.

O Estado será incluído na 3ª fase dos testes. Os Emirados Árabes são, por enquanto, o único país a receber a vacina. De acordo com o laboratório, os processos iniciais tiverem 100% de sucesso.

O governador Ratinho Junior (PSD) disse que esse “é mais 1 passo, mais 1 avanço na pesquisa em busca de uma solução para o coronavírus. Esperamos ter sucesso para ajudar o Paraná, o Brasil e os países vizinhos”. Ele destacou que os próximos passos são estabelecer o termo científico regulatório e o protocolo sanitário de validação para identificar o melhor modelo de testagem a ser seguido. O Estado ainda precisa da liberação do Ministério da Saúde e da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Conversei com o ministro da Saúde Eduardo Pazuello e ele se mostrou muito interessado, indicando que o Governo Federal será 1 grande parceiro neste projeto. São protocolos importantes que fazem a parceria avançar, ganhar velocidade”, afirmou Ratinho Junior, em comunicado. O Estado pretende que o termo seja submetido aos órgãos regulatórios nos próximos 15 dias.

Os testes no Paraná serão coordenados pelo Tecpar (Instituto de Tecnologia do Paraná). Diretor-presidente do instituto, Jorge Callado disse que “além dos estudos clínicos, estamos trabalhando com a questão de transferência de tecnologia para o país, fortalecendo o Paraná e o Brasil na área da saúde“.

Ainda participam do processo a Secretaria da Casa Civil, a Superintendência-Geral da Ciência Tecnologia e Ensino Superior e a Secretaria da Saúde.

VACINAS NO BRASIL

O Brasil participa de outros 2 processos de testagens de vacinas contra a covid-19.

A Unifesp (Universidade Federal de São Paulo) e o Instituto D’Or, no Rio de Janeiro, firmaram parceria com a Universidade de Oxford, no Reino Unido, para a 3ª fase de testes da vacina da AstraZeneca. O Brasil participa com 2.000 voluntários. O Instituto Butantan, de São Paulo, realiza testes da vacina do laboratório chinês Sinovac Biotech. Participam 9.000 voluntários em 6 Estados.

Além desse, a Anvisa autorizou a empresa alemã BioNTech e a farmacêutica Pfizer a realizarem 1 ensaio clínico (testes de medicamentos em humanos) que estudará 2 tipos de vacinas contra a covid-19.

Leitores On Line