Palmeiras supera altitude e vence o Bolívar por 2 a 1 em La Paz

Os seis meses de paralisação do Bolívar já davam indícios de que o jogo contra o Palmeiras, nesta quarta-feira, válido pela terceira rodada do Grupo B da Libertadores, não seria um primor técnico. Mesmo diante da altitude como maior adversário, o alviverde foi melhor durante grande parte da partida, que terminou em 2 a 1. No segundo tempo, foi pressionado, mas a falta de preparo físico do Bolívar pesou, e as jogadas ofensivas da equipe se resumiam a bolas alçadas no meio da área – foi assim que a equipe diminuiu com Riquelme, quando já perdia por 2 a 0.

A noite foi especial para Gabriel Menino, cria da base palmeirense, que marcou seu primeiro gol, um golaço de fora da área, atuando pela equipe principal. Depois de um segundo tempo pressionado, o alviverde ainda teve uma boa chance com Scarpa, que cobrou falta e a bola explodiu no travessão. No rebote, Veron não conseguiu vencer Rojas, e o placar se manteve em 2 a 1.

O JOGO

Desacostumado a altitude de La Paz, o Palmeiras enfrentou um Bolívar que não fazia uma partida oficial há seis meses. A falta de ritmo de jogo do time boliviano ficou clara nas disputas, e o jogo permaneceu cadenciado nos primeiros 45 minutos. O alviverde apostou nas bolas de fora da área, com Raphael veiga, e nas esticadas para aproveitar as características de Rony e Willian. Assim, achou suas melhores chances logo nos primeiros minutos.

Mesmo mais lento, o Palmeiras era melhor, tinha mais posse de bola e organizava melhor suas jogadas ofensivas principalmente pelo meio do campo. Aos 32 minutos, Rony recebeu um lançamento longo e já na linha de fundo, recebeu a marcação de Jusino. O jogador não tinha opções de cruzamento mas mesmo assim, sofreu a falta dentro da área. O árbitro assinalou a penalidade na hora – nesta fase da competição, não há VAR.

Na cobrança, Willian bateu rasteiro no canto direito de Rojas, que quase chegou. O lance foi providencial para o Palmeiras, que tentava vencer o desgaste físico provocado pelo ar rarefeito no Hernando Siles. Na reta final da primeira etapa, o Bolívar pressionou em busca do empate, mas parou na barreira formada pelo setor defensivo do verdão.

Na segunda etapa, o Palmeiras repetiu a pressão. Aos seis minutos, Rony avançou em boa jogada pela esquerda, driblou e finalizou, mas foi bloqueado. No lance seguinte, Zé Rafael lançou mão da batida de fora da área mas Rojas fez a defesa. O jogo era morno até Gabriel Menino, aos 14 minutos, acertar um golaço quase que do meio do campo, sem chances para o goleiro Rojas. O gol foi o primeiro do atleta no time principal do Palmeiras em 25 participações.

O Bolívar apostava nas bolas levantadas na área, mas a zaga palmeirense estava bem postada até os 21 minutos, quando falhou ao deixar Riquelme sozinho para cabecear na segunda trave e diminuir para o time da casa. Com o passar da segunda etapa, o cansaço pesou, e o Palmeiras se encolheu no campo de defesa enquanto pipocavam as bolas alçadas do Bolívar.

Tomando muita pressão, Luxemburgo optou por trocar Zé Rafael e e Willian por Vitor Hugo e Gustavo Scarpa para reforçar o setor defensivo. No setor de ataque, pouco acionado, Gabriel Veron substituiu Rony, e Danilo, Raphael Veiga. A última chance do alviverde foi com Scarpa, já aos 49 minutos, em uma falta que explodiu no travessão. No rebote, Veron tentou arrematar, mas Rojas ficou com a bola.

Essa foi a primeira vez há de 37 anos que uma equipe venceu o Bolívar em La Paz. Com o resultado, a equipe se complica na classificação, já que somou apenas três pontos em três rodadas. Já o Palmeiras é o líder do grupo com muito conforto, com nove, enquanto o Guaraní-PAR, segundo colocado, enfrenta o Tigre, lanterna que não pontuou, nesta quinta-feira.

No próximo dia 23, quarta-feira, o Palmeiras enfrenta o Guarani-PAR no Defensores Del Chaco, Às 21h30. O Bolívar também viaja, e enfrenta o Tigre no Monumental Victoria no dia 22, às 19h15.

BOLÍVAR 1 X 2 PALMEIRAS

BOLÍVAR – Rojas, Bejarano, Jusino, Gutierrez e Flores; Machado, Oviedo, Fernandez e Saavedra (Anderson Cruz); Arce e Marcos Riquelme. Técnico: Claudio Vivas.

PALMEIRAS – Weverton, Marcos Rocha, Luan, Gustavo Gómez e Viña; Ramires, Gabriel Menino e Zé Rafael (Scarpa); Raphael Veiga (Danilo), Rony (Gabriel Veron) e Willian (Vitor Hugo). Técnico: Vanderlei Luxemburgo

GOLS – Willian (33/1ºT), Gabriel Menino (14/2ºT) e Riquelme (22/2ºT).

CARTÕES AMARELOS – Zé Rafael (35/1ºT), Gabriel Menino (44/1ºT), Bruno Henrique (26/2ºT) e Danilo (43/2ºT) no Palmeiras; Claudio Vivas (39/2ºT) no Bolívar.

ÁRBITRO – Piero Maza.

LOCAL – Hernando Siles, em La Paz (Bol).

Leitores On Line