Palhocenses relembram neve no Cambirela

Com a expectativa de quedas bruscas de temperatura no final desta semana, devido à chegada de uma massa de ar polar intensa, ocorrências de neve no Morro do Cambirela não estão descartadas, segundo a Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina (Epagri). O fenômeno aconteceu pela última vez em 23 de julho de 2013, surpreendendo munícipes e moradores da Grande Florianópolis, que há 30 anos não viam os “alpes palhocenses”, como passaram a apelidar a montanha, com as extremidades branquinhas.

Era terça-feira quando a temperatura em Santa Catarina registrou entre 0°C e 1°C. Durante o amanhecer daquele dia atípico de inverno, há sete anos, a neve cobria o Morro do Cambirela, proporcionando uma paisagem incomum para a região litorânea do estado. De acordo com dados da Epagri, o evento foi decorrente da combinação de baixos índices térmicos e da umidade do ar. À época, 107 cidades catarinenses começaram o dia cobertas por cristais de gelo.

A estudante de enfermagem Thaise Torres, de 24 anos, morava no bairro Rio Grande e ainda estava cursando o Ensino Médio na ocasião. Ela conta que ficou tão impressionada com o fenômeno que chegou a perder o ônibus para a aula. “Eu estava abismada, olhando para o Cambirela, e não o vi passar”, conta a jovem, que garante que o atraso valeu a pena. “Era 5h15 da manhã e eu tive que usar ‘trezentos’ moletons”, comenta, lembrando do ar congelante que enfrentou durante a espera.

Outra pessoa tem boas lembranças do evento histórico é o palhocense Rafael Calixto, que também vivia no Rio Grande. Ele conta que ver as pontas do Cambirela cobertas por neve foi uma experiência que jamais imaginaria vivenciar. “Nem sabia que já tinha nevado antes”, revela. A expectativa dele é alta para que os cristais de gelo apareçam novamente nesta semana, embora talvez não consiga visualizar o cenário com a mesma riqueza de detalhes de sete anos atrás. “Ainda era (na época) uma casa de dois pisos, então a vista foi boa”, explica.

Já o recém-formado engenheiro Igor Althoff Vidal, de 26 anos, hoje mora em uma pequena cidade da Alemanha, onde nevascas são comuns durante o inverno. Mas em 2013, estudando para o vestibular, ainda vivia na casa dos pais, no Pagani, e não estava acostumado às baixas temperaturas; tampouco acreditava que o fenômeno pudesse acontecer em Palhoça! “A mãe me acordou, falando da neve. Eu voltei a dormir, pensei que era mentira”, relata.

Ele recorda que, mesmo com as pontas tomadas por flocos de gelo, houve casos de pessoas tentando escalar o morro naquela terça-feira, e alerta para que entusiastas tomem cuidado, caso o fenômeno se repita. “Ninguém tinha equipamento, e como o Cambirela é inclinado, é muito perigoso escalar com neve”, lembra. À época, bombeiros precisaram resgatar pessoas que se aventuraram a subir a montanha.

Com mais de mil metros de altura, o visual do Cambirela coberto de neve pôde ser visto inclusive em algumas localidades de Florianópolis. A jornalista Vanessa Silveira, por exemplo, conta que conseguiu apreciar a paisagem da janela da sua casa, no Estreito, enquanto fazia home office. “Meus pais tinham ido viajar para um lugar onde teoricamente nevaria. Morreram de raiva por não ver”, brinca.

Expectativa de nova ocorrência

A Epagri sinaliza que, na noite desta quinta-feira (20), o frio intenso e a alta umidade vão favorecer a condição de neve no Planalto Sul, que deve se estender para as áreas mais altas (acima de 700/800 metros) do Oeste, Meio-Oeste, Planalto Norte e Florianópolis Serrana nesta sexta (21). Levando em conta esse cenário, pode ser que os palhocenses visualizem novamente o Morro do Cambirela branquinho no final desta semana.

O frio rigoroso, que seguirá até segunda-feira (24), será consequência do ingresso de uma intensa massa de ar polar continental sobre a região Sul do Brasil. A Epagri ressalta que a previsão de neve será detalhada na quarta (19) e quinta-feira (20), mas já pede atenção extrema à população carente, especialmente a pessoas em situação de rua, já que haverá alto risco de hipotermia.

Embora as previsões ainda não sejam confirmadas, a expectativa é de marcas de temperaturas mínimas históricas em diversas regiões.

Cuidados

Além da queda acentuada de temperatura em Santa Catarina, a Defesa Civil de Santa Catarina alerta para a previsão de temporais isolados no estado a partir da tarde desta terça-feira (18). Em Palhoça, os agentes garantem que estão em monitoramento e a postos para possíveis ocorrências. A Defesa Civil alerta que precipitação de neve só poderá ser confirmada de 48 a 24 horas antes do evento.

Já a Prefeitura de Palhoça, por meio da Secretaria Municipal de Assistência Social, informa que haverá abrigos destinados a pessoas em situação de rua a partir de quinta-feira (20). Será disponibilizado um abrigo para moradores de rua se protegerem do frio e da chuva, com acomodação, alimentação e banheiros.
O alojamento funciona das 19h às 7h, no piso superior do Centro de Convivência do Idoso, localizado na rua Padre João Batista Réus, no Caminho Novo. O horário para entrada é das 17h às 19h.

8b66b60213be7bec843a311952dee4d9.jpeg