Operação policial investiga lavagem de dinheiro, peculato e dispensa indevida de licitação em cinco cidades de PE


Operação Locatário cumpre mandados em endereços de empresários e agentes públicos no Recife e em Olinda, Paulista, Surubim e Sairé. Prefeito Júnior Matuto (PSB) é um dos alvos. Prefeitura de Paulista foi um dos endereços onde mandados da operação foram cumpridos

A Polícia Civil de Pernambuco deflagrou, nesta terça-feira (21), a Operação Locatário, que cumpre mandados em endereços de empresários e agentes públicos nas cidades do Recife e de Olinda, Paulista, Surubim e Sairé. As três primeiras ficam no Grande Recife; e as duas últimas, no Agreste. Um dos alvos é o prefeito de Paulista, Júnior Matuto (PSB), que foi afastado do cargo.
Outra operação policial cumpre mandados em três cidades de PE
A investigação foi iniciada em julho de 2019 com o objetivo de apurar a participação deles na prática dos crimes de dispensa indevida de licitação, peculato, uso de documento falso, associação criminosa e lavagem de dinheiro.
Durante a operação, são cumpridos 14 mandados de busca e apreensão domiciliar, sete mandados de suspensão do exercício de função pública e um mandado de suspensão temporária de participar de licitações e o sequestro de bens imóveis e valores, todos expedidos pelo Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE).
Participam da operação 55 policiais civis, entre agentes, delegados e escrivães. A ação é vinculada à Diretoria Integrada Especializada (Diresp), sob a presidência do Delegado Diego Pinheiro, da 2ª Delegacia de Combate à Corrupção (Deccor), do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (Draco).
Afastamento do prefeito
O prefeito Júnior Matuto foi afastado do cargo após o cumprimento do mandado de suspensão de exercício de função pública expedido pelo Tribunal de Justiça.
Além da Operação Locatário, ele é alvo também da Operação Chorume, que investiga a participação de empresários e agentes públicos na prática de crimes como peculato, fraude em licitações e associação criminosa.
O esquema envolve uma empresa de limpeza urbana do município de Paulista e teria desviado cerca de R$ 21 milhões, segundo a Polícia Civil. Os mandados foram cumpridos em endereços no Recife, em Paulista e em Caruaru.

Com Agências