Obra na servidão de Armação ficou pela metade; moradores sofrem com o abandono

A moradora de Penha Roberta Nardes, 38 anos, está em pé de guerra com a prefeitura da cidade. Ela conta que autorizou a prefeitura a acessar o quintal de sua casa durante a obra de instalação de rede pluvial na servidão Bernadete de Jesus Severino, no bairro Armação.
O problema, segundo Roberta, é que os trabalhadores da prefeitura foram embora há dois meses e largaram o quintal e a obra inacabados. Pra piorar, o esgoto a céu aberto está escorrendo nos fundos da cozinha da casa. “A prefeitura usou meu quintal pra fazer a obra, quebraram tudo, não terminaram e o esgoto está a céu aberto. Ficaram de terminar a obra e não vieram”, conta.
A casa fica perto do Mercado Silva. Roberta ligou para o secretário de Obras várias vezes para reclamar da situação, mas ele não atende mais as ligações da moradora. “Também destruíram o terreno da vizinha. Ela liga e eles não vem. Um descaso conosco”, lamenta Roberta.
O secretário de Obras, Alessandro Rubens da Silva, garantiu ao DIARINHO que até sexta-feira a situação dos moradores da servidão será resolvida e os terrenos arrumados. A demora teria ocorrido porque duas máquinas quebraram e pelo fato de a prefeitura estar com equipe reduzida desde o início da pandemia de covid.
A obra na servidão foi para a colocação de 135 tubos e a instalação de rede de captação pluvial. A prefeitura teve que usar o espaço do terreno dos moradores para acomodar os materiais. “A intenção era arrumar e deixar tudo certinho, mas choveu e a secretaria teve que deslocar a equipe parar atender outros serviços. Mas até sexta-feira o terreno deve estar arrumado”, disse à reportagem.

Leitores On Line