O provável destino da ação por ‘currículo inventado’ contra Decotelli

Ministro mais breve de todos os tempos no Ministério da Educação, Carlos Alberto Decotelli sofreu nova derrota esta semana no episódio do currículo inventado.

A Procuradoria-Geral da República pediu ao Supremo Tribunal Federal que mande a investigação contra ele para a Justiça Federal, por entender que o crime de falsidade ideológica teria como vítima a União.

No parecer, o vice-procurador-geral, Humberto Jacques, reconhece que o ministro indicado não tem prerrogativa de foro por função e que “a falsidade noticiada ocorreu, em tese, com o intuito de exercer o cargo de ministro de estado, estado claro, portanto, o interesse da União”.