O privilégio da impunidade

A tentativa frustrada da polícia de obter provas no gabinete de José Serra reacende a discussão sobre o foro privilegiado, informa a Crusoé.

Após a liminar de Dias Toffoli que proibiu a entrada de policiais no gabinete do senador, a ação será encaminhada a Gilmar Mendes em agosto, após o recesso do Judiciário.

“Espera-se que, então, um debate premente, menosprezado pelos políticos, seja reaberto: o fim do foro privilegiado”, diz a Crusoé.

Com Agências

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.