O Contexto Sócio-histórico do Turismo em Florianópolis

Em nosso primeiro artigo, iniciaremos compartilhando nossa alegria com a oportunidade gerada pelo Floripanews de solidificarmos este canal de comunicação. Aqui, objetivamos estimular reflexões que façam você repensar o desenrolar histórico-social da cidade. Além de constituir-se como uma apresentação inicial do trabalho que pretendemos construir ao longo de nossa parceria.

Na década de 30, Florianópolis tem no comércio sua principal atividade econômica, sendo a responsável pelo fluxo migratório de pessoas à cidade. Realidade esta, motivada também pela implantação de organizações como a Eletrosul, a UFSC, dentre outras estatais, redimensionando seus contornos urbanos. Já, após a década de 70, intensificaram-se as chegadas de turistas estrangeiros, principalmente os argentinos, dando início assim, ao nosso atual modelo de Turismo.

O fato é que o ciclo de vida do turismo em Florianópolis passou por uma série de transformações ao longo do tempo, desde a demanda espontânea supracitada, até a atual pandemia de COVID-19, que fechou fronteiras e impediu o funcionamento de inúmeras empresas do setor. Todavia, cremos que a atividade se recuperará e trabalharemos neste espaço, com a produção de conteúdo digital, por seu fortalecimento.

Contamos com sua contribuição para que esta parceria se torne longínqua e cada vez mais sólida. Assim, resumidamente, trataremos de variados assuntos relacionados ao Turismo neste espaço, desde a sua gestão pública, opções de lazer, passeios, gastronomia, hospedagem, serviços, entre outros assuntos atrelados à turismologia.

Sejam bem vindos!

O Prof. Me. Daiko Lima e Silva é Turismólogo e tem mais de 20 anos de experiência no setor. Destes, cerca de 15 anos na gestão pública do Turismo, na qual realizou suas pesquisas de graduação, especialização e mestrado.

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line