Números da covid-19 caem e Estado de São Paulo tem 95% da população em regiões na fase amarela

Paloma Cotes, O Estado de S.Paulo

04 de setembro de 2020 | 13h06

 

#snippet-16 .snippet-content{ background-image: url(“https://jornaltijucas.com.br/wp-content/uploads/2020/09/echo/5e663f6df3524_576x80_barra_coronavirus576-80.jpg5f57573ee3ac8.jpg”); } @media (min-width:768px){ #snippet-16 .snippet-content{ background-image: url(“https://img.estadao.com.br/fotos/testeira/2020/03/5e663f583f6e8_712x57_barra_coronavirus712-57 (1).jpg”) } } #snippet-16 .snippet-content .descricao{ color: #000000; } #snippet-16 .snippet-content .bt-saiba-mais{ background-color: #000000; color: #ffffff; }

Com um cenário de declínio nos números da pandemia de covid-19, o Estado de São Paulo passa a ter 95% de sua população vivendo em regiões na fase amarela da quarentena. O anúncio do avanço das regiões para essa nova etapa foi feito nesta sexta-feira, 4, pelo governador João Doria (PSDB).

Leia Também

20 mil PMs vão apoiar fiscalização em cidades do Estado de SP para evitar aglomerações no feriado

20 mil PMs vão apoiar fiscalização em cidades do Estado de SP para evitar aglomerações no feriado

O Estado já não tinha regiões na fase vermelha desde 21 de agosto. E estavam na fase laranja e avançaram para a amarela as regiões de Presidente Prudente, Marília, São José do Rio Preto, São João da Boa Vista e Registro. Pela reclassificação, Franca permanece na fase laranja e Ribeirão Preto volta a esse estágio. A chamada fase amarela permite a retomada, ainda que parcial, de atividades comerciais, como comércio de rua, shoppings centers, escritórios, bares e restaurantes, academias, salões de beleza e barbearias. A quarentena, de acordo com o governo, continua vigente no Estado até o dia 19 de setembro. 

“Essa é a melhor fase do Plano São Paulo e mostra que o pacto que foi feito com a população garantiu essa progressão. Por cinco semanas, tivemos queda em internações e por quatro semanas houve redução em número de óbitos”, afirmou o secretário estadual da Saúde, Jean Gorinchteyn. “Queda do platô é uma realidade não só no município, mas em todo o Estado”, disse. 

Foi registrada redução de 13,5% nos óbitos em relação à semana epidemiológica anterior. Na média diária nesta 36ª semana, foram 192 mortes. Na semana 35, essa média era de 222 óbitos. A média diária de casos na 36ª semana epidemiológica é de 7.311 contra 7.454 na semana anterior

De acordo com a gestão Doria, nesta sexta-feira foi registrada a taxa de ocupação de leitos de UTI mais baixa no Estado, 54%. Na Grande São Paulo, essa taxa é de 51,5%. Essa é a quinta semana seguida de queda nesse índice e ela foi de 6,5% na comparação com a semana anterior, regredindo aos índices registrados em maio. O balanço da secretaria estadual da Saúde mostra que estão internados em leitos de UTI 4.582 pacientes e em enfermaria são 6.112, entre casos suspeitos e confirmados. 

O Estado registra nesta sexta-feira um total de 845.016 casos confirmados da doença e 31.091 óbitos – pela primeira vez o interior ultrapassou a capital na porcentagem de óbitos pela doença, segundo Marco Vinholi, secretário estadual de Desenvolvimento Regional. Em 24 horas, foram registradas 186 mortes e 7.038 casos novos. 

Além disso, de acordo com o balanço, o Estado registrou 671.574 casos de pessoas recuperadas da doença e 93.074 altas hospitalares

“Essa tendência de regressão da pandemia vem se mostrando consistente, mas não significa que temos que baixar a guarda. Lembro que estamos em quarentena e precisamos ter cautela e cuidado”, afirmou Doria.

Projeções feitas pelo Centro de Contigência Contra a Covid-19 mostram que o Estado pode ter entre 900 mil e 1 milhão de casos da doença até o dia 15 de setembro. E entre 33 mil e até 38 mil óbitos até esta data.

Educação

O Estado todo em fase amarela é um dos requisitos para a volta às aulas em São Paulo. Pela previsão da gestão Doria, a reabertura de escolas está permitida pelo governo estadual a partir de 8 de setembro nas regiões que estão em fase amarela há mais de 28 dias. A retomada em setembro é focada em atividades de acolhimento, recuperação, atividades físicas, tutoria e aulas em laboratório, enquanto a data oficial de retorno para atividades curriculares é 7 de outubro. Na capital paulista, no entanto, a volta em setembro já foi descartada pelo prefeito Bruno Covas (PSDB).

“Estamos com duas etapas de retorno. Agora estamos muito concentrados na volta presencial do reforço escolar, com mais de 120 municipios que autorizaram e outros ainda em estudo, lembrando que tem que estar há 28 dias consecutivos na fase amarela na região para esse retorno autorizado. A questão de outubro, a maioria dos municípios ainda não se manifestou e o Estado ainda tem que atingir todas as condicionalidades para isso. Hoje temos 80% para uma eventual volta em outubro, mas temos que ter todas as regiões no amarelo para essa contagem. E em setembro ainda falaremos sobre a volta às aulas em outubro”, afirmou o secretário estadual da Educação, Rossieli Soares. 

Notícias relacionadas
  • 20 mil PMs vão apoiar fiscalização em cidades do Estado de SP para evitar aglomerações no feriado
  • Prefeitura anuncia fechamento do hospital de campanha do Anhembi
  • Eleição na pandemia vai exigir 9,7 milhões de máscaras e 5,2 milhões de frascos de álcool gel
Tudo o que sabemos sobre:

São Paulo [estado]Franca [SP]Ribeirão Preto [SP]coronavíruscoronavírus [prevenção]coronavírus [impacto econômico]

Continuar lendo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Destaques em São Paulo

  • Estado de São Paulo registra quarta semana consecutiva de queda de mortes pela covid-19

    Estado de São Paulo registra quarta semana consecutiva de queda de mortes pela covid-19

  • Feriado tem registro de 11 casos de afogamento em São Paulo

    Feriado tem registro de 11 casos de afogamento em São Paulo

  • Estradas registram movimento intenso na volta do feriado da Independência

    Estradas registram movimento intenso na volta do feriado da Independência

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Assine o Estadão Já sou Assinante

Tendências:

  • Mortes por covid em SP caem 14% em agosto; projeção estima chegar a 1 milhão de casos até dia 15
  • Cidades próximas de 500 mil habitantes mantêm qualidade de vida no interior
  • Veja o mapa dos casos confirmados de coronavírus por região da cidade de São Paulo