Thursday, 06 August, 2020

JORNAL TIJUCAS

Nº de exames em espera para Covid-19 no AC continua subindo e fila chega a mais de 1,2 mil



Sem insumos, laboratório ficou parado por cinco dias Charles Mérieux. Gerente disse que houve atraso na entrega de materiais e análises foram retomadas nessa quinta (30). Nº de exames em análise para Covid-19 no AC continua subindo e chega a mais de 1,2 mil

Com laboratório parado por cerca de cinco dias, o número de exames em análise para Covid-19 no Acre continua subindo e já ultrapassa os 1,2 mil, segundo últimos boletins divulgados pela Secretaria de Estado de Saúde (Sesacre).
O boletim dessa quinta-feira (30) apontou que 1.254 amostras estavam em análise no Laboratório Charles Mérieux e no Laboratório Central de Saúde Pública do Acre, o Lacen-AC. Desde o início da pandemia no estado, em março deste ano, a média diária era de 200 a 300 exames em análise nos laboratórios.
O aumento, que começou a ser percebido no último sábado (25), é justificado pela falta de insumos no principal laboratório do estado, Charles Mérieux que fez com que o local ficasse parado até essa quinta (30). A informação foi confirmada pelo gerente-geral do laboratório, Andrea Stocker.
A previsão de chegada dos materiais era até a terça (28), mas houve um atraso na entrega e chegaram na tarde de quinta. Segundo o gerente, os exames que estão na fila já começaram a ser analisados e no boletim de sábado (1º) já deve ser possível zerar esse represamento.
No boletim parcial desta sexta-feira (31) apenas 52 novos casos foram confirmados.
“Já vai acabar, porque nós não tínhamos kits, paramos por alguns dias e por isso acumulou. Até amanhã [sábado,1] vai ser tudo resolvido e não vai ter mais fila. Ontem [quinta,30] os kits chegaram às 15h e nós já fizemos 224 análises apenas no final da tarde. Então, vai ter uma baixa grande no boletim de sábado, já que os dados entram com 24h de atraso”, disse o Stocker.
O gerente disse ainda que chegou ao estado mais um robô acelerador para aumentar a quantidade de diagnósticos de Covid-19. Com isso, a capacidade foi aumentada para 500 a 600 análises por dia.
Óbitos antigos nos boletins
No último boletim da Sesacre, o número de óbitos por Covid-19 ocorridos no mês anterior chamou atenção. Do total de 11 mortes divulgadas nessa quinta (30), nove ocorreram no mês de junho e as demais eram do início do mês de julho.
O atraso na informação, segundo informou o enfermeiro epidemiologista, que trabalha no departamento de vigilância da Sesacre, Marcos Malveira, se deu porque existe cerca de 50 óbitos que estavam aguardando resultado de exame para entrar nos boletins.
Todos esses casos eram de pacientes que morreram e no atestado de óbito constava que a causa da morte tinha sido Covid-19, porém, por não haver o exame laboratorial, a Sesacre não estava incluindo nos boletins.
Como as mortes tinham sido atestadas por médicos como sendo pela doença, através de análise clínica dos pacientes, após uma conversa com o Ministério Público e para evitar incongruência dos dados, a secretaria resolveu começar a inserir nos boletins.
Até esta quinta, 22 dessas mortes foram incluídas nos dados oficiais e as demais devem entrar nos próximos dias. A inclusão dos casos que estavam parados no sistema começou a ser feita na última segunda (27).
“Quando o médico coloca que a causa foi Covid-19, esses óbitos vão entrar no sistema de informação de mortalidade como Covid-19 e daqui a dois anos, quando a base for disposta ao público, as pessoas vão ver que há uma diferença de dados. Ou seja, aqueles que a gente vem divulgando diariamente e a que está no sistema. Por isso, decidimos junto com o MP que a gente precisava liberar esses óbitos e colocar no boletim e é isso que a gente vem fazendo.
O enfermeiro explica que se trata de todo um processo de investigação, que leva um tempo. Muitas vezes, o paciente que veio a óbito não chegou a fazer o exame antes de falecer ou ainda, fez o exame em uma unidade, mas acabou sendo transferido para outro e esse exame não foi localizado.
“Por exemplo, a pessoa pode ter entrado pela UPA, fez a coleta e depois foi transferida para o Into. Então, para a gente fazer a localização desse exame, precisamos ir pelo nome e, às vezes, pode acontecer que por um erro de nome a gente não consiga encontrar. Por isso que esse processo demora realmente. Também é incrível a quantidade de pessoas que têm o mesmo nome no estado, todo dia encontro cinco ou seis pessoas desse jeito no banco de dados, o que também acaba causando essa demora”, explicou.
Outro ponto que tem chamado atenção nos boletins da Sesacre é o caso de pessoas que têm morrido em suas casas com a Covid-19. Segundo a secretaria, são casos de vítimas que apresentaram os sintomas, mas não procuraram uma unidade de saúde a tempo para buscar atendimento médico e logo evoluíram no quadro clínico.
Saúde confirma mais 11 mortes por Covid-19 no AC
Covid-19 no Acre
O Acre registra 521 vítimas fatais da Covid-19, segundo último boletim divulgado nessa quinta. O número de casos também saltou de 19.366 para 19.573, com o aumento de 207 novos casos em 24 horas.
Você conseguiu fazer exame para Covid-19 na rede pública de Saúde do Acre?
Há ainda 1.254 amostras em análise pelo Laboratório Charles Mérieux e pelo Laboratório Central de Saúde Pública do Acre, o Lacen-AC. O número de pessoas curadas da doença é de 14.012, ou seja 72% do total dos casos.
O estado está em contaminação comunitária desde o dia 9 de abril, com uma taxa de 2.219 casos para cada 100 mil habitantes e letalidade de 2,7%.
A taxa de ocupação nos leitos de UTI específicos para pacientes graves de Covid-19 nesta quinta é de 49%. De acordo com o boletim assistencial, o número de vagas foi ampliado para 88 e 43 estão ocupadas. Do total de leitos, 20 se concentram em Cruzeiro do Sul e 68 em Rio Branco.

Obter novas postagens por e-mail:

Cadernos

Confira…



Fale conosco
redacao@jornaltijucas.com.br 
+554833330097

 

Leitores On Line

 

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE