Nissan Magnite: por que SUV ‘mini Kicks’ deve suceder o March no Brasil

do UOL

Vitor Matsubara

Do UOL, em São Paulo (SP)

29/08/2020 04h00

A Nissan confirmou na última quinta-feira (27) o fim da produção do March no país. Com isso, o modelo lançado em 2011 se despede, por enquanto, sem deixar sucessor.

Há quem diga que a nova geração do compacto, que foi revelada na Europa no fim de 2016, poderia desembarcar por aqui nos próximos anos. Mas outro caminho parece mais promissor para a marca no mercado brasileiro: apostar no Magnite, o mini SUV menor do que o Kicks.

Em entrevista ao site ‘Motor 1’, o presidente da Nissan no Brasil, Marco Silva, deu indícios de que o ‘mini-Kicks’ deve ser o escolhido, já que a montadora não estaria disposta a bancar a produção da nova geração do March por aqui.

“Ele ficaria mais caro que o atual e ainda seria visto como um hatch compacto”, explicou o executivo.

Ajuda aí

O Magnite (que ainda está na fase de conceito) poderia virar realidade com o auxílio da parceira Renault. O planejamento estratégico da aliança prevê a produção de modelos em uma mesma fábrica. A aliança já deu indícios de que pretende aproveitar a capacidade produtiva das duas fábricas que possui no país, localizadas nas cidades de São José dos Pinhais (PR) e Resende (RJ).

A partir daí, a ideia é fabricar modelos das duas marcas em uma mesma fábrica, de acordo com a plataforma.

No caso do Magnite, ele aproveita a plataforma CMF-A+, que é a mesma do Renault Kwid. Dela podem ser fabricados dois SUVs: o próprio Magnite e o Kiger, que ainda não foi apresentado.

Segmento inexplorado

Outro ponto que joga a favor do Magnite é a necessidade da Nissan de ampliar sua presença no segmento de SUVs. Embora o Kicks venda bem, ele é o único produto da empresa que atua no segmento, um dos mais badalados e rentáveis do mercado brasileiro.

Ao mesmo tempo que estuda a venda do X-Trail por aqui, a fabricante poderia investir na outra ponta de seu portfólio, e justamente em um subsegmento onde não haveria concorrentes – que podemos até chamá-lo de SUVs “subcompactos”.

document.addEventListener(‘DOMContentLoaded’, function() {
var tag = document.createElement(“script”); tag.language=”JavaScript1.1″; tag.type=”text/javascript”;
tag.src = “https://t.dynad.net/script/?dc=”+(window.innerWidth > 767 ? “5550020366” : “5550020367”) +”;ord=”+Date.now()+”;tt-age=”+ (((UOLPD || {}).dataLayer || {}).tt_age || ‘na’) +”;tt-cluster=”+(((UOLPD || {}).dataLayer || {}).tt_cluster || ‘na’)+”;tt-gender=”+(((UOLPD || {}).dataLayer || {}).tt_gender || ‘na’)+”;tt-microsegments=”+(((UOLPD || {}).dataLayer || {}).tt_microsegments || ‘na’)+”;tt-socialclass=”+(((UOLPD || {}).dataLayer || {}).tt_socialclass || ‘na’)+”;tt-subjects=”+(((UOLPD || {}).dataLayer || {}).tt_subjects || ‘na’)+”;tt-team=”+(((UOLPD || {}).dataLayer || {}).tt_subjects || ‘na’)+”;click=”;
var offer = document.querySelector(‘.offer-notice’);
offer.appendChild( tag );
});

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line