ND Explica: como fica SC após novo mapa de risco da Covid-19

Um cenário promissor começa a se desenhar em Santa Catarina. É que nesta quinta-feira (24), a matriz de risco potencial para Covid-19 foi atualizada. E, pela primeira vez, o Estado não conta com nenhuma região em estado gravíssimo.

Essa é a melhor condição do Estado em relação ao risco de contaminação pelo novo coronavírus, desde junho.

Mapa de risco para Covid-19 foi atualizado e Santa Catarina não apresenta nenhuma região com nível gravíssimo – Foto: Anderson Coelho/ND

A única alteração desta semana no mapa aconteceu com a região Nordeste, que foi reclassificada do estado gravíssimo para grave. O Extremo Oeste é a única região classificada como risco alto e as demais seguem na condição de risco grave.

O ND+ resgatou os últimos decretos divulgados pelo governo estadual e listou as principais alterações, conforme a classificação de risco de cada região.

Templos religiosos

A portaria que estabelece regramentos para o funcionamento de templos religiosos em Santa Catarina foi atualizada pelo governo do Estado nesta quarta-feira (23). O documento autoriza a lotação máxima nos templos religiosos ou igrejas, de acordo com a avaliação de risco potencial de cada região.

Pelos critérios estabelecidos, os templos e igrejas do Nordeste catarinense poderão operar com lotação máxima de 50% da capacidade, que é o limite para as regiões de nível grave.

Nas regiões de risco alto (amarela) a lotação pode ser de até 70% e nas de risco moderado (cor azul) a lotação máxima será aquela que garanta o distanciamento social mínimo de 1,5 metro.

Prova de roupas no comércio

A prova de roupas no comércio de vestuário só está autorizada nas regiões de saúde com risco potencial alto ou moderado.

Sendo assim, somente os moradores do Extremo Oeste estão aptos a provar as peças nas lojas. Nas demais regiões, a prova continua proibida.

Eventos sociais 

A retomada dos eventos sociais está condicionada à avaliação de risco potencial para Covid-19. Nas regiões de nível grave, está proibida a realização de eventos sociais. A região do Extremo Oeste é a única autorizada a realizá-los, respeitando a capacidade de ocupação de 60% do espaço.

Museus 

A região Extremo Oeste também é a única que pode permitir a abertura de museus para circulação de pessoas, não ultrapassando o limite de 1/3 da
capacidade de lotação. As outras 15 regiões do Estado, que estão classificadas como nível grave, ainda não podem reabrir esses espaços.

Academias 

A região Nordeste, que foi reclassificada do risco gravíssimo para grave, vai poder flexibilizar o número limite de pessoas nas academias de ginástica. De 30%, esses espaços poderão operar com 50% da capacidade.

Academias terão que cumprir novo protocolo na reabertura das atividades – Foto: Reprodução/ND

O Extremo Oeste catarinense é a única região onde as academias podem funcionar com 70% da capacidade.

Congressos

A retomada da modalidade de congressos, palestras e afins foi autorizada somente nas regiões com risco potencial alto ou moderado. Sendo assim, a região Extremo Oeste, mais uma vez, é a única com a possibilidade de realizar esses eventos.

Competições esportivas

Os critérios para a retomada dos eventos e competições esportivas organizados pela iniciativa privada e pela Fesporte (Fundação Catarinense de Esporte) foram definidos pelo Estado no dia 14 de setembro.

A realização das atividades segue o tipo de modalidade esportiva e a avaliação do Risco Potencial para Covid-19 nas regiões de saúde. A partir da atualização do mapa de risco, a região Nordeste do Estado poderá retomar as modalidades individuais sem contato direto.

Critérios para a retomada dos eventos e competições esportivas foram definidos no dia 14 de setembro – Foto: Divulgação/Fabricio Escandiuzzi/SES

Já nas individuais com contato direto e nas coletivas, somente podem ser realizadas em regiões de saúde que apresentem risco alto ou moderado.

Parques aquáticos

A portaria 705 do governo do Estado estabeleceu os critérios para o retorno das atividades em parques e complexos de águas termais. De acordo com a portaria, a região que apresentar nível gravíssimo fica proibida de ter o funcionamento.

Nesse sentido, atualmente, esses espaços estão aptos a operar em todas as regiões de Santa Catarina, uma vez que não há nenhuma com classificação de risco gravíssima.

Nas regiões com risco grave, o número de visitantes deve ser de, no máximo, 40% da sua capacidade, segundo a portaria. Nas regiões de risco alto – Extremo Oeste – o número de visitantes deve ser de, no máximo, 50% da sua capacidade.

Quatro regiões estão próximas do nível alto

Até o momento, o Extremo Oeste é a única região do Estado com pontuação ideal para ser considerada com nível alto de risco. Porém, com a atualização dos indicativos, outras quatro regiões estão próximas de alcançar o nível: Alto Uruguai Catarinense, Alto Vale do Rio do Peixe, Foz do Rio Itajaí e Oeste.

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line