Nascido em Floripa, Araquém Alcântara celebra 50 anos de fotojornalismo

Reconhecido mundialmente por suas obras fotográficas, Araquém Alcântara, um dos precursores da fotografia de natureza no Brasil, comemora 50 anos de uma carreira brilhante e consolidada. Natural de Florianópolis e apontado como um dos mais importantes fotógrafos em atuação da atualidade, Araquém começou a fotografar ainda menino, quando reproduziu sua primeira foto em janeiro de 1970, e não parou mais.

Em meio século, conquistou seis prêmios internacionais e mais de 70 prêmios nacionais. Seus 55 livros lançados têm como base criativa o Brasil, sobretudo a Amazônia e o sertão brasileiro.

– Minhas fotos são um canto de amor à natureza e ao povo brasileiro. De um lado a fertilização imensa que é este país amazônico, verdadeira sinfonia de belezas. De outro, a violentação assassina dos santuários ecológicos, a degradação impune da natureza, o povo espoliado, faminto, sem futuro -, definiu ele.

(Foto: Araquem Alcântara / divulgação)(Foto: Araquem Alcântara / divulgação)

Com fotos famosas que rodam o mundo, Araquém luta pela sustentabilidade, regularização fundiária da Amazônia e proteção dos povos indígenas, e acredita que esse é o momento para vetorizar todos os esforços para que o Brasil se torne uma grande potência verde.

– O momento para mudar o Brasil é agora, precisamos parar o desmatamento! O homem se afastou da natureza e na sua extrema ignorância pensa dominar e domesticar à sua maneira o vasto complexo biológico a que está submetido por leis maiores. Sou um artista de combate, indomado, viajante, colecionador de mundos. Minhas fotos convidam à reflexão, ativam a imaginação e o sonho. Não tenho compromissos com escolas, partidos e ideologias -, salientou.

No sábado (15), Araquém retornou à Amazônia, num momento difícil e delicado em que vive a região e os povos indígenas, por onde ficará um mês para registrar novos momentos que completarão sua obra sobre a floresta tropical. As imagens registradas serão expostas em uma feira de Frankfurt, na Alemanha, em outubro de 2021. Esse trabalho também contempla a série de lançamentos comemorativos.

– Eu cheguei a morar cinco meses na Amazônia, foi minha odisseia durante 15 anos, onde pude ver e conhecer as joias raras do país. Minhas fotos não são andaime de nada, elas são como música, celebram a vida -, salienta.

(Foto: Araquem Alcântara / divulgação)(Foto: Araquem Alcântara / divulgação)

Araquém é apontado pelos críticos como um dos precursores da fotografia de natureza no Brasil. Foi o primeiro fotógrafo a documentar todos os parques nacionais do Brasil.

De Floripa para o Mundo
Natural de Florianópolis, Araquém mudou-se ainda jovem para São Paulo, onde fez o curso de jornalismo na USP. Morou grande parte da vida em Santos e hoje vive em São Paulo. Araquém prioriza a fotografia como expressão plástica e instrumento de transformação social. É considerado por muitos um dos mais combativos artistas brasileiros em defesa do patrimônio ambiental e atuou diversas vezes na linha de frente contra o desmatamento ilegal da Amazônia, retratando em suas fotos, todos os horrores da destruição da região.

Em 2019, lançou uma obra dedicada à cultura e memória do Brasil chamada “Brasileiros”, um sucesso de vendas online, coletânea de fotos do autêntico povo brasileiro tiradas durante os seus 50 anos de carreira.

Entre 1987 e 1998, Araquém o fotógrafo percorreu todos os parques nacionais brasileiros, e deste trabalho surgiu sua obra mais reconhecida, “Terra Brasil”, que tornou-se o livro de fotografia mais vendido no Brasil nos últimos tempos, com mais de 100 mil exemplares vendidos.

Em 2001, produziu a capa do livro “Unknown Amazon” para o Museu Britânico e fotos para a exposição de mesmo nome. É o primeiro fotógrafo brasileiro a produzir um trabalho inédito para a National Geographic, a edição especial de colecionador “Bichos do Brasil”.

Entre suas principais obras estão os livros Terra Brasil de 1998, Pantanal, 2005, Mar de Dentro, 2006, Amazônia, 2013 e Jaguaretê em 2018. No total, publicou 55 livros individuais, 22 livros em co-autoria, vencendo seis prêmios internacionais e 70 prêmios nacionais, entre eles o Prêmio Abril de Jornalismo (duas vezes), Prêmio Von Martius, oferecido pela Câmara de Comércio Brasil Alemanha na categoria natureza e o Prêmio Jabuti, pelo livro Amazônia.

(Foto: Araquem Alcântara / divulgação)(Foto: Araquem Alcântara / divulgação)

Gostou deste blog? Por favor, compartilhe :)

https://jornaltijucas.com.br/feed/
Seguir por E-mail
YOUTUBE
Leitores On Line