‘Não se pode querer crescer às custas da destruição’, diz Gisele sobre desmatamento na Amazônia

Gisele Bundchen. Foto: Nino Munoz

Nem a chegada dos 40 anos, que completa amanhã (20), nem o isolamento social deixam Gisele Bündchen estressada.  Se no começo da pandemia  se sentiu ansiosa, ela conta que logo depois conseguiu administrar a angústia – porque o sentimento negativo “baixa a imunidade”. Quanto ao aniversário,  prefere usar a palavra amadurecimento em vez de envelhecimento. “Me sinto mais madura, mais consciente e mais segura de mim”, explica.

Mas nem tudo é zen no universo da supermodelo. Conhecida pelo envolvimento em causas ecológicas, Gisele se diz “triste” com a situação dos indígenas no Brasil, principalmente durante a pandemia, e espera que “nossos governantes comecem a tomar medidas contra o desmatamento”. Para celebrar o aniversário, vai plantar 40 mil árvores na região das bacias do Rio Xingu e Araguaia, mas planeja expandir o plantio por meio da plataforma de doações da ação Viva a Vida, que encabeça.

Uma das modelos mais bem pagas da história, a gaúcha vê com bons olhos a crescente inclusão de diferentes padrões de beleza  na moda e no crescimento da preocupação do consumidor com sustentabilidade.  “Essas mudanças são importantíssimas, necessárias e vieram para ficar”. 

Em novo endereço, desde abril, quando se mudou de Massachusetts para Flórida, a gaúcha passa a quarentena com os filhos, Benjamin e Vivian, e o marido, o jogador de futebol americano Tom Brady. “Estamos gostando da Flórida, lá é bem mais quente e temos sol quase todos os dias, o que me deixa feliz”.

Leia abaixo alguns trechos da entrevista dada por email à Marcela Paes, que sai completa na segunda-feira na coluna Direto da Fonte (20).

Estamos com taxas atuais altíssimas de desmatamento na Amazônia e empresários estão ameaçando não investir mais no Brasil se medidas não forem tomadas. Acha que o governo brasileiro, de uma maneira geral, está sendo relapso nessa questão? 

Espero que nossos governantes comecem a tomar medidas contra o desmatamento para que não cheguemos a um ponto onde será muito difícil reverter a situação. Se demora anos, décadas, para a natureza conseguir recompor o que é destruído em poucos dias. Precisamos lembrar que sem a natureza, não teremos o tão almejado “progresso”. Não se pode querer crescer e evoluir às custas da destruição de algo. A natureza vem nos dando sinais há muito tempo de que precisamos mudar a forma com qual nos relacionamos com ela, se não aprendermos a respeitar a natureza e viver em harmonia, somos nós que iremos sofrer as consequências.

Você vai fazer o plantio de 40 mil árvores da Amazônia. Também costuma atuar em muitas causas do meio ambiente. Pensa em ter um santuário ecológico ou gerir uma ONG ambiental sua? 

Estou começando com 40 mil árvores, mas acredito que possamos plantar muito mais que isso com a ação Viva a Vida, que criei para celebrar meu aniversário. Adoraria ter um santuário ecológico, aliás meu sonho seria se o mundo todo fosse mais verde e todos pudessem ter mais contato com a natureza. Imagina, que incrível seria. Hoje, prefiro apoiar as organizações que já existem, desenvolvem um trabalho sério e tem larga experiência, do que ter uma instituição própria. 

A indústria de moda tem mudado bastante. Tanto em relação à preocupação com questões ambientais quanto aos aspectos de inclusão de diversos tipos físicos em campanhas e desfiles. Como enxerga isso? O setor demorou a perceber que de alguma forma era excludente?

Essas mudanças, tanto nas questões ligadas ao impacto ambiental quanto a inclusão de diferentes biotipos, são importantíssimas, necessárias e vieram para ficar. Nos dias atuais as empresas têm recebido cada vez mais cobranças para se adequarem à realidade da sociedade e quem tem o poder de ditar a moda, deve sim dar o bom exemplo.

Como é envelhecer para você? O que é beleza no seu dicionário? 

Prefiro a palavra amadurecer. Pois é assim que me sinto, mais madura, mais consciente e mais segura de mim. Quando olho para trás e para tudo que vivi até aqui, sinto imensa gratidão. O tempo traz mudanças em nossa aparência, mas se cuidarmos de nossa saúde podemos continuar vivendo bem e com vitalidade. O tempo também nos traz a oportunidade para continuarmos crescendo e evoluindo como seres humanos, nos traz novos aprendizados e mais sabedoria. Cada ano que passa é um presente. Pra mim, a beleza vem de uma luz interna, é o reflexo de um estado de espírito e não tem idade.

Estamos passando por algo inédito, que é a pandemia global de covid-19. Como você está lidando com isso?

 No início da pandemia estava me sentindo ansiosa, porque via muitas notícias negativas. Então, procurei consumir conteúdos mais positivos, coisas que me agregassem algo e comecei a focar em coisas que me deixavam feliz, como passar tempo com meus filhos e trabalhar nos projetos que quero concretizar. O stress baixa muito a nossa imunidade, então procuro focar em coisas que elevem minha vibração, isso fez toda diferença na forma em que eu me sinto.

Com Agências

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.