O Ministério Público Federal (MPF) instaurou inquérito civil para investigar o cumprimento, pelo município de Criciúma, das orientações do Ministério da Saúde para manuseio medicamentoso precoce de pacientes com diagnóstico da Covid-19 e a adequada fiscalização por parte dos Conselhos Regionais de Medicina e de Farmácia.

O inquérito, instaurado de ofício pelo procurador da República em Criciúma Fábio de Oliveira, teve como fundamento divulgação pela mídia de que Criciúma disponibilizará tratamento alternativo para o tratamento da Covid-19.

Protocolo

Com o inquérito civil, o município foi oficiado para que apresente, com urgência, cópia do protocolo clínico adotado e distribuído aos médicos de Criciúma, com orientações para o “manuseio medicamentoso precoce” no tratamento de pacientes com diagnóstico de Covid.

“Manuseio medicamentoso precoce” é quando o paciente de Covid-19 recebe medicação logo no começo da infecção, antes de apresentar sintomas mais graves.