MP denuncia quatro PMs do Bope por matar irmãos dentro de casa, em Trindade


Kaleb de Paula Araújo e Victor de Paula Araújo foram baleados em janeiro deste ano. Policiais militares devem responder por homicídio qualificado. Segundo promotor, socorro demorou a ser chamado e cena do crime foi manipulada. MP denuncia quatro policiais militares pela morte de dois irmãos em Trindade
O Ministério Público de Goiás (MP-GO) denunciou quatro policiais militares pelas mortes dos irmãos Kaleb de Paula Araújo, de 18 anos, e Victor de Paula Araújo, de 21, baleados dentro da casa da família, em Trindade, na Região Metropolitana da capital, em 6 de janeiro deste ano. Em agosto, a Polícia Civil indiciou os PMs pelos homicídios.
Os policiais Ricardo da Costa Faria, Carlos Pinheiro Lopes, Leonardo de Oliveira Cerqueira e Jefferson da Silva Gomes, todos lotados no Batalhão de Operações Especiais (Bope) de Goiânia, foram denunciados por homicídio qualificado com a qualificadora de emprego de recurso que dificultou a defesa das vítimas.
O G1 solicitou posicionamento da defesa dos PMs, às 21h22 de segunda-feira (14), e aguarda retorno.
Em nota, o tenente-coronel da Polícia Militar, Allan Pereira Cardoso, responsável pela assessoria da corporação, informou que a PM “seguirá todas as determinações judiciais que lhes forem legalmente determinadas para o caso”.
Denúncia
De acordo com o promotor de Justiça Eudes Leonardo Bomtempo, os policiais militares disseram, em depoimento à Polícia Civil, que haviam recebido informações do serviço de inteligência do Bope de que Victor Araújo era “foragido da Justiça, portava arma de fogo e traficaria drogas na casa em que morava”.
Ainda segundo o promotor, os PMs disseram, em depoimento, que decidiram entrar no imóvel, pois concluíram que se tratava de um ponto de venda de drogas. A equipe permaneceu no local por mais de 30 minutos, de acordo com o MP-GO, e foi ouvida por vizinhos ordenando que as vítimas permanecessem deitadas ou sentadas, além de súplicas dos dois irmãos para que não fossem mortos.
“Após os primeiros disparos, o denunciado Jefferson da Silva Gomes ligou a sirene da viatura. Foi ouvida outra sucessão de tiros nos fundos da residência, exatamente onde os corpos das vítimas foram encontrados posteriormente pelas equipes de socorro”, relatou o promotor.
As duas sequências de tiros ocorreram, segundo a denúncia, cerca de 30 minutos depois que a equipe do Bope entrou no imóvel. Victor de Paula foi atingido por três tiros e Kaleb por dois.
Victor de Paula Araújo e Kaleb de Paula Araújo são mortos a tiros em Trindade, Goiás
Reprodução/ TV Anhanguera
Manipulação
Uma perícia constatou que o Corpo de Bombeiros e o Samu foram chamados mais de 20 minutos depois dos disparos. A informação foi divulgada à época pela Polícia Civil.
Segundo a denúncia, as equipes médicas não constataram sinais vitais nos dois irmãos, mas foram coagidas pelos policiais a realizarem procedimentos de reanimação nas vítimas.
Os irmãos foram transportados à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Setor Soares, em Trindade, onde foram confirmados os óbitos.
Ainda de acordo com o promotor, os policiais manipularam as armas utilizadas na data do homicídio e até mesmo na cena do crime.
“Os procedimentos adotados pelos denunciados prejudicaram a obtenção de elementos relativos à dinâmica de toda ação policial desenvolvida por eles no interior da residência. Com isso, os denunciados, intencionalmente, alteraram, ou seja, inovaram de forma artificiosa o estado de lugar, coisas e pessoas, com o fim de induzir a conclusões equivocadas e afastar a responsabilidade penal deles pela morte das vítimas”, concluiu.
Local em que foram baleados Kaleb de Paula Araújo, de 18 anos, e Victor de Paula Araújo, de 21 anos; irmãos morreram em Trindade Goiás
Reprodução/TV Anhanguera
Veja outras notícias da região no G1 Goiás.
Leitores On Line