Modista Claire Juliani une moda com ação social e dribla crise

Acostumada a receber seus clientes pessoalmente para tirar medidas ou discutir modelos e tecidos, decorridos poucos dias da paralisação causada pelo coronavírus, a modista Claire Juliani, percebeu que a pandemia tinha potencial para ameaçar de extinção a marca que leva seu nome caso não fizesse algo.

Motivada por pessoas ao seu redor, Claire tomou uma decisão: se reinventar, aprender, buscar o novo, empreender de uma forma diferente. Com isso, deixou por um tempo de lado seus moldes de vestidos e criou novos produtos com propósito de ajudar a  sua marca e também os outros. A primeira ação que tomou foi começar a produzir máscaras de proteção e a cada uma vendida, entregaria uma para instituições sociais. “A ideia das máscaras surgiu com um pedido de uma amiga. A jornalista Rejane Gambin que me deu a sugestão. Quando o uso das máscaras de tecido foi liberado pelo Ministério da Saúde, ela perguntou se eu faria para ela. Comecei e não parei mais”, diz.

A ação social aliada à necessidade do produto criado foi muito bem recebida e, além de movimentar o financeiro da empresa, gerou novas ideias de negócio. “É momento de pegar o que você tem e fazer algo sem grandes investimentos. É como ter que fazer almoço e não foi no mercado: você junta uma cebola aqui, um molho de tomate ali e faz um macarrão, saiu uma refeição”, explica.

Levando isso em consideração, com a mesma pegada social, surgiu então a camiseta com a frase motivacional: “Nada será como antes, mas tudo pode ser melhor como nunca foi” que, além de levar esperança para as pessoas tem parte do valor destinado para compras de cestas básicas entregues pelo projeto Fee Brasil (Força Empresarial Emergência). A criação da camiseta foi outra decisão acertada da empresária chegando até a ter divulgação nacional através do envolvimento da apresentadora Adriane Galisteu que quando conheceu o projeto decidiu falar dele em suas redes sociais. “Eu sempre estive engajada com campanhas sociais e a pandemia veio para tornar isso mais forte ainda. Acredito que não apenas na moda, mas em todos os mercados, se arregaçarmos as margas e começarmos a pensar no coletivo e, além disso, trazer produtos de qualidade e mais duradouros seremos cada vez mais uma sociedade melhor e mais inclusiva”, destaca Claire Juliani.

Com ousadia, e um espírito empreendedor inspirador, Claire Juliani está disposta a manter a empresa e construir um legado. Com tudo caminhando, a modista começa a voltar seu olhar para seus projetos anteriores. Recentemente acabou de inaugurar um ateliê no Shopping Mueller e inicia o planejamento da sua nova coleção que deve ser apresentada em setembro. “Daqui um ano, a gente vai olhar para o dia de hoje e dizer: as pessoas que fizeram “isso, isso e isso” fizeram bem e eu, sigo me movimentando, porque quero poder estar entre essas pessoas citadas”, finaliza.